...onde o facto pactua com a verdade... sempre!!!

Quinta-feira, 07 de Abril, 2011

 

O Sp. Braga conseguiu esta noite um importante empate a um golo com o Dínamo de Kyiv, em partida da primeira mão da Liga Europa.

Resultado que abre boas perspectivas do clube bracarense de seguir em frente rumo ás meias finais.

Apesar de ter entrado algo receoso no jogo o que até nem é normal nesta equipa quando se trata de jogo de competições europeias, o SC Braga sofreu o golo bem cedo, á passagem dos seis minutos num cabeceamento de Andriy Yarmolenko que aproveitou a falha de marcação dos defesas do Sp. Braga.

Porém num golpe de alguma sorte, passados meia dúzia de minutos o empate era reposto através de um auto-golo após canto marcado na esquerda do ataque por Hugo Viana que com um centro tenso obrigou que um defensor ao tentar aliviar o esférico introduzisse nas redes do desamparado Shovkovskiy.

O Dinamo não acusou o golo e não fosse a brilhante exibição (mais uma) entre os postes de Artur e o Braga teria ido para os balneários em posição incómoda. Resultado lisonjeiro para os bracarenses.

Nos segundos 45 minutos o SC Braga entrou disposto a virar agulhas para o ataque de modo a surpreender a equipa adversária. A ajudar, uma atitude infantil do ex-melhor jogador do mundo, Andriy Shevchenko, que esteve apenas 15 minutos em campo depois de ter visto nesse período duas cartolinas amarelas e respectiva expulsão. Foi uma bomba nas pretenções de Yuri Semin que desse modo com menos uma pedra no xadrez viu-se obrigado a baixar a guarda e dar a posse de bola ao Sp. Braga na expectativa de poder praticar o contra-ataque. Porém o Sp. Braga já conseguia nessa altura, por em prática a seu bel prazer o perfume do seu futebol com passe teleguiados e muita calma na linha intermédia do terreno onde Vandinho qual vagabundo vagueava entre a defesa e o meio campo para dar ajuda a Custódio, que entrou bem no jogo, a substituir o nervoso Paulão.

A segunda parte, mercê também da expulsão da estrela do clube foi de predomínio bracarense com realce para um remate espectacular de Sílvio que levava selo de golo e que passou a centímetros do poste do guarda redes do Dínamo.

Agora convinha jogar com o tempo pois o resultado registado no placard do estádio Lobanovsky era positivo para os comandados de Domingos Paciência que agora tem umasemana para engendrar para pôr em prática uma táctica que aliada á técnica dos seus jogadores e ao perfume do seu futebol pode voltar a fazer história e colocar o Sp. Braga no topo do futebol europeu antes da sua mais que previsível saída de Braga e do clube que treinaháduas épocas com estrondoso sucesso.

Quem há pouco tempo atrás seria capaz de se atrever a referir que um clube que não os habituais três do futebol português seria capaz, e em duas épocas consecutivas, de ser vice-campeão nacional, tendo perdido o campeonato na última jornada e no ano seguinte poder chegar ás finais da segunda competição mais importante a nível europeu, depois de ter participado na maior montra que é a Champions de onde saiu de cabeça erguida e pela porta maior onde amealhou nove pontos que normalmente são suficientes para seguir em frente naquela competição, diria que estava a sonhar... Mas é a pura verdade. O Sp. Braga é hoje sem sombra para qualquer dúvida um ilustre do futebol nacional e europeu e a nível interno é de longe o terceiro na hierarquia deixando os leões na curva.

  De volta á liga europa o Sp. Braga pode, em caso de vitória sobre os ucranianos, encontrar outra equipa portuguesa, o Benfica, pois venceu na primeira mão o PSV Eindhoven, enquanto na outra meia final se perfila um confronto ibérico entre Villareal (5-0 ao Twentw) e FC Porto (5-1 ao Spartak Moscovo). Ou seja, Dublin, palco da final desta competição pode assistir a uma final 100% portuguesa. E já agora, que uma equipa seja o Sp. Braga. Pela sua maturidade demostrada e colocada em práticanos últimos tempos, perseverança e querer mas acima de tudo por que merece mercê do menor poderio económico mas com o plantel mais homogéneo, mais guerreiro e com mais garra. Parece que cada jogo desde o Axa contra o Celtic de Glasgow é preparado e olhado como se do último se tratasse.

 Então, venha daí a segunda mão e mais uma vitória para guiar os guerreiros do Minho até Dublin.

 

Qualidade certificada na Ucrânia

 
O Sp. Braga parte para a segunda-mão em vantagem no marcador e nos níveis de confiança. A segunda metade em Kiev foi realmente boa, principalmente pela forma como a equipa de Domingos soube ter a bola em seu poder.

Muito tranquila, personalizada, sempre em recepção e passe curto, o Sp. Braga mostrou não ser em nada inferior a este interessante Dínamo Kiev. Nem tudo foi perfeito, principalmente na postura defensiva, e Domingos terá de chamar a atenção à sua equipa. A Europa prepara-se para assisitir a uma agradável surpresa?

Depois da épica noite de Liverpool, o Sp. Braga volta a mostrar qualidade certificada em Kiev. E a história está por acabar.

Seráque a História vai ser completa e a festa de arromba? Será que o SC Braga vai inscrever o seu nome no restrito grupo de vencedores da Liga Europa?

O futuro, bem próximo, o dirá, mas já esteve mais difícil.

Força guerreiros.

 

 

Dynamo Kyiv
Andriy Yarmolenko 6'
Dynamo Kyiv
1:1
Sp. Braga
Sp. Braga
Alan 12'

 

COMENTÁRIOS:

 

Domingos Paciência, treinador do Sp. Braga, comenta o empate em Kiev, nesta quinta-feira, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa, em declarações à SIC:

«Não foi a melhor exibição do Sp. Braga e temos consciência disso. Equipa entrou muito ansiosa, sentiu grandes dificuldades e acabou por ser feliz na primeira parte, porque o Dínamo teve oportunidades para marcar e nós não. Melhorámos na segunda e conseguimos um bom resultado contra uma grande equipa. Mas acaba por ser um resultado perigoso, repito, contra uma grande equipa, que nos vai obrigar a uma grande superação.»

[Jogar contra dez] «Sabíamos que a partir daí iam baixar as linhas e conceder mais espaços, mas não conseguimos ser expeditos no último terço do relvado e conseguir mais mobilidade. Ficamos com a sensação que podíamos ter procurado outro resultado. Mas, se antes do jogo, me perguntassem se aceitaria este resultado, aceitaria. É um bom resultado fora, mas vamos ter de abordar o próximo jogo de forma muito concentrada.»

 

Artur, guarda-redes do Sp. Braga, comenta o empate em Kiev, nesta quinta-feira, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa, em declarações à SIC:

«O Dínamo é uma excelente equipa, conseguimos um grande resultado e levamos a decisão para Braga. Temos toda a tranquilidade para jogar no nosso estádio e vamos estar bem concentrados.»

 

Vandinho, médio do Sp. Braga, comenta o empate em Kiev, nesta quinta-feira, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa, em declarações à SIC:

«Em Braga temos na mesma de lutar, porque defrontámos uma grande equipa. Vamos ter um jogo muito difícil, mas vamos fazer de tudo para passar. Nos primeiros minutos sentimos algumas dificuldades, mas com inteligência e calma conseguimos equilibrar.»

 

Hugo Viana destacou a «cultura táctica» da equipa como um ponto-chave para contornar as dificuldades criadas pelos ucranianos e concordou que o 1-1 é um «excelente resultado», embora tenha considerado que a equipa podia ter feito mais na segunda parte.

 

Salino, que assumiu hoje a titularidade no meio campo, alinhou pela mesma ideia de que o Sporting de Braga não é favorito a passar às meias-finais, apesar do bom resultado alcançado, e garantiu que os jogadores já estão focados no jogo com o Vitória de Guimarães, segunda-feira, da 26ª jornada da Liga de futebol.

Sobre o “clássico” minhoto, Hugo Viana aproveitou para agradecer as palavras do vitoriano Targino, que hoje desejou boa sorte aos bracarenses para o jogo com o Dínamo de Kiev e desejou mesmo a vitória do Sporting de Braga.

 

Yuri Semin

 

 "Braga foi defensivo"

 

 Após um começo tão bom, não passava pela cabeça de Yuri Semin empatar em casa com o Braga. Mas aconteceu. E como se isso não bastasse, os ucranianos perderam Shevchenko para o jogo da segunda mão devido a uma atitude irreflectida do avançado, mas que o técnico russo não o condenou. "Shevchenko tem uma grande cultura e experiência, e não faria aquilo se tivesse ouvido o árbitro. Estava perto dos adeptos e acredito que não tenha ouvido", referiu Semin, que explicou a exibição menos conseguida após o intervalo com "a táctica muito defensiva do Braga". "Entrámos muito bem e fizemos um bom jogo nos primeiros 30 minutos, mas, infelizmente, falhámos muitos golos", lamentou.

Com o empate em Kiev, o Dínamo está agora obrigado a vencer em Braga. Uma missão que não se avizinha fácil de alcançar, pois, desde que iniciaram a campanha europeia, os arsenalistas só perderam com o Shakhtar. Mas Semin não perde a esperança. "O Braga é uma excelente equipa e não me surpreendeu. No entanto, acredito que temos capacidade para discutir a eliminatória", disse.

 

Laurentino Dias

 "Seria um feito histórico"

 

 

Laurentino Dias está encantado com a campanha de FC Porto, Benfica e Braga na Liga Europa e, antes dos jogos de ontem, o secretário de Estado do Desporto revelou a O JOGO que está confiante no sucesso das três equipas. "Por aquilo que fizeram até agora, nada as impede de chegarem ainda mais longe", comentou o governante, esperançado numa final cem por cento lusa: "Seria muito bom, e um feito histórico, a presença de duas equipas numa final europeia."

 

   
92'   Final da partida!
82' Substituição no Sp. Braga: Entrou Meyong e saiu Lima.
74' Substituição no Sp. Braga: Entrou Mossoró e saiu Leandro Salino.
69' Cartão amarelo para Popov.
61' Segundo cartão amarelo e consequente expulsão para Shevchenko.
53' Cartão amarelo para Shevchenko.
52' Cartão amarelo para Paulo César.
51' Cartão amarelo para Miguel Garcia.
51' Cartão amarelo para Yarmolenko.
46' Substituição no Sp. Braga: Entrou Custódio e saiu Paulão.
46' Substituição no Dínamo Kiev: Entrou Shevchenko e saiu Kravets.
46'   Recomeça a partida.
45'   Intervalo.
35' Cartão amarelo para Kaká.
13' Golo do Sp. Braga, marcado por Gusev, na própria baliza!
6' Golo do Dínamo Kiev, marcado por Yarmolenko!
1'   Começa a partida!
    Dínamo Kiev (Onze Inicial): Shovkovskyi; Danilo Silva, Knacheridi, Yussuf e Popov; Gusev, Eremenko, Vukojevic e Yarmolenko; Kravets e Milevskyi.
    Dínamo Kiev (Suplentes): Koval, Betão, Shevchenko, Garmash, Nesmachnyi, Leandro Almeida e Zozulyia.
    Sp. Braga (Onze Inicial): Artur Moraes; Miguel Garcia, Kaká, Paulão e Sílvio; Leandro Salino, Vandinho e Hugo Viana; Alan, Lima e Paulo César.
    Sp. Braga (Suplentes): Cristiano, Mossoró, Hélder Barbosa, Meyong, Custódio, Dani e Aníbal.
    Já há equipas oficiais!
    Vídeo do lance Rui Tovar: "Braga tem sido uma agradável surpresa". O jornalista Rui Tovar elogia a capacidade do Braga e a inteligência de Domingos Paciência, assegurando que os minhotos têm hipóteses reais de eliminar o Dínamo Kiev e seguir em frente na Liga Europa.
    O treinador Domingos Paciência convocou 18 jogadores: Artur, Cristiano, Miguel Garcia, Sílvio, Paulão, Kaká, Aníbal, Dani, Vandinho, Custódio, Salino, Hugo Viana, Mossoró, Hélder Barbosa, Alan, Paulo César, Lima e Meyong.
    Caso o Braga defronte o Benfica, será a primeira vez que duas equipas portuguesas estarão frente-a-frente nas provas de clubes da UEFA.
    O clube que seguir em frente mede forças nas meias-finais com o vencedor do embate entre Benfica e PSV, a 28 de Abril e 5 de Maio, jogando a primeira mão perante os seus adeptos. O vencedor desta eliminatória será designado como equipa visitante na final, agendada para a Dublin Arena, a 18 de Maio.
    O sorteio determinou que os embates dos quartos-de-final da UEFA Europa League vão ser disputados entre clubes que estão em prova desde o início da fase de grupos (Dínamo Kiev, FC Porto, PSV Eindhoven e Villarreal) e clubes que transitaram da fase de grupos da Champions (Spartak, FC Twente, Braga e Benfica).
    Com FC Porto e Benfica ainda em prova, esta é a primeira vez que há três clubes portugueses presentes nos quartos-de-final da mesma prova de clubes da UEFA.
    Shevchenko, ponta-de-lança do Dínamo, defrontou o Braga quando alinhou 90 minutos num jogo em que o AC Milan bateu os portugueses, por 1-0, na fase de grupos da Taça UEFA de 2008/09.
    Para as duas equipas, este será o 53º encontro nesta prova. Ambas ganharam 20 partidas, mas o Dínamo regista 17 empates contra dez do Braga.
    O próximo golo sofrido pelo Dínamo será o 50º na Taça UEFA e Liga Europa.
    O último tento do Braga, marcado por Alan, de penalty, na primeira mão dos oitavos-de-final com o Liverpool FC, foi o 100º do clube nas competições europeias. Este é o 75º jogo do emblema bracarense nas provas de clubes da UEFA.
    O Dínamo é a equipa com mais golos marcados até agora na competição, 20, mais um do que o FC Porto.
    Alan é o melhor marcador do Braga na Liga Europa, com dois remates certeiros apontados desde que o conjunto do Minho entrou na prova, nos 16 avos-de-final.
    Esta é a época em que o Braga chegou mais longe numa prova de clubes da UEFA, depois de duas presenças nos oitavos-de-final da Taça UEFA, em 2006/07 e 2008/09.
    O Braga só marcou um golo fora esta época desde o início da fase de grupos da Champions. Aconteceu na deslocação ao terreno do Partizan, onde os bracarenses ganharam por 1-0 e interromperam uma série negativa de três derrotas e um empate.
    A formação da Ucrânia não perde qualquer encontro perante os seus adeptos na Taça UEFA / Liga Europa desde Novembro de 1992.
    O Dínamo não perde em casa na Europa há sete jogos – quatro vitórias e três empates –, desde 9 de Dezembro de 2009, quando o Barcelona ganhou por 2-1, em Kiev, na fase de grupos da Champions. A equipa ucraniana não sofreu qualquer golo nos últimos quatro desafios disputados no Estádio Valeriy Lobanovskiy.
    A única experiência do Braga com equipas ucranianas aconteceu na presente época, na fase de grupos da Champions, quando perdeu em casa e fora, por 3-0 e por 2-0, respectivamente, diante do Shakhtar Donetsk, o arqui-rival do Dínamo.
    O Dínamo disputou dez jogos com equipas portuguesas, registando três vitórias, nenhum empate e sete derrotas (dois triunfos, nenhum empate e três desaires em casa). A equipa da Ucrânia perdeu os dois últimos jogos em casa frente a adversários portugueses.
    As equipas defrontam-se pela primeira vez em competições europeias.
    O Dínamo Kiev vai tentar igualar o feito alcançado em 2008/09 e chegar às meias-finais da Liga Europa quando defrontar os portugueses do Sp. Braga.

 

Como jogou Dínamo de Kiev

Shevchenko trai os jovens

Numa equipa repleta de juventude destacaram-se Popov, Yarmolenko e ainda Gusev - a sua boa exibição apenas foi manchada pelo lance do empate -, que, com 28 anos, é dos mais experientes de uma equipa que não esperava a "traição" de Shevchenko, a superestrela do futebol ucraniano.

 

Defesa

 

 Neste sector destacou-se a segurança do gigante Khacheridi, o elo mais forte da defesa, que teve no lateral-esquerdo Popov o elemento mais participativo no futebol ofensivo, enquanto do outro lado o brasileiro Danilo se revelou mais contido nesse particular.

Meio-campo 

 Com o croata Vukojevic e o finlandês Eremenko a dividirem o papel de carregadores do piano, o momento ofensivo do Dínamo de Kiev era definido - em algumas ocasiões, de forma avassaladora - pela estrela Milevsky, agora mais número 10 do que o ponta-de-lança revelado em 2006 no Europeu de sub-21, que foi realizado em Portugal. Na segunda parte, com a entrada de Shevchenko, Milevsky passou a actuar como ponta-de-lança.

Ataque

 Yarmolenko, autor do primeiro golo e autor da segunda grande oportunidade do jogo, é a grande esperança do futebol ucraniano, e ontem percebeu-se porquê. O número 9 do conjunto ucraniano foi uma dor de cabeça constante para Miguel Garcia, enquanto, do outro lado, Gusev - que teve a infelicidade de ter participado no lance do golo do Braga - não deixou Sílvio aventurar-se no ataque. Unidade menor, o avançado Kravets ficou no balneário ao intervalo, cedendo o lugar a Shevchenko, o experiente avançado que em 15 minutos passou de ameaça a… aliado do Braga.

 

Sp. Braga um a um

 

Artur | A saída despropositada aos 7 minutos, que quase valeu o segundo golo a Yarmolenko, foi só um percalço e não o condicionou. O excelente voo aos 37' e defesa milagrosa aos 43' provam-no.

 

Miguel Garcia | A mobilidade de Yarmolenko foi um problema que o lateral-direito não soube resolver no primeiro tempo. Melhorou imenso no segundo e ganhou tanta confiança que até atacou.

 

Paulão | Muitas dificuldades para evitar as entradas de Kravets e/ou Milevskiy nas costas. Um problema físico traiu-o numa fase crescente e, ao intervalo, o defesa ficou no balneário.

 

Kaká | Alguns erros primários a abrir e um nervosismo incaracterístico. Sem Paulão, assumiu a liderança do sector - e muito bem. E, deve dizer-se, encaixou muito melhor em Milevskiy do que em Kravets.

 

Sílvio | A jogada de Gusev no primeiro golo deixou-o em estado de alerta. Por isso subiu apenas com segurança e procurou impedir mais estragos do extremo. Como toda a equipa, subiu (no campo e de produção) na etapa complementar.

 

Hugo Viana | Falhou o passe num lance que deu o golo do Dínamo, marcou o canto que valeu o empate. Contas pagas - embora nem numa nem noutra situação tenha tido essa intenção -, e depois uma exibição segura e de processos simples. Bons passes e alguns cortes providenciais.

 

Salino | Perdido no primeiro terço do jogo, foi-se encontrando e saiu na melhor fase, aquela em que estava a conduzir (e bem) a equipa para o ataque. O problema é que faltava velocidade.

 

Alan | É autogolo de Gusev, mas Alan tem mérito na forma como pressiona o jogador e o obriga a errar. De resto, foi o Alan do costume nos jogos de contenção: inteligência, muita bola no pé e faltas bem sacadas.

 

Lima | Jogo pleno de esforço e sacrifício. Um único remate, mas não era fácil pedir mais a quem jogou sozinho e até mais vezes na ala do que no meio.

 

Paulo César | Bem no apoio a Sílvio e sempre o mais esclarecido a sair para o ataque na fase em que o Braga estava a ser encostado. Nem sempre decidiu bem, mas permitiu que a equipa respirasse e se reorganizasse.

 

Custódio | Melhorou o miolo, embora a expulsão de Shevchenko lhe tenha facilitado a vida. Expedito no passe e exemplar em matéria de posicionamento.

 

Mossoró | Imprimiu velocidade, mas não objectividade.

 

Meyong | Sem tempo.

 

A excelente campanha das equipas portuguesas nas provas da UEFA prossegue em 2010/11, com Portugal a garantir o sexto lugar no ranking, assinando aquele que é já o melhor desempenho de sempre. Um contexto que relança a pergunta: qual é a equipa que mais tem contribuído para a tendência de recuperação?

Ranking UEFA: Portugal tem sexto lugar garantido

 

Nem era preciso tanto, rapazes! As goleadas de F.C. Porto e Benfica e o empate do Sp. Braga confirmaram o que já era quase uma certeza: o sexto lugar no ranking da UEFA está garantido para os portugueses e, como tal, haverá três equipas lusas a participar na Liga dos Campeões em 2012/13: dois directamente na fase de grupos e um nas pré-eliminatórias, para além de três na Liga Europa.

A Ucrânia era o único país com remotas hipóteses de ultrapassar os portugueses, mas a derrota de Shakhtar e o empate do Dínamo Kiev tornam esse cenário impossível. Portugal tem agora 2,489 pontos de vantagem sobre os russos e 3,646 sobre os ucranianos. A França, no quinto lugar, está fora de alcance dos portugueses, pelo menos nesta temporada.

Os desfechos permitem também às equipas lusas aumentar significativamente o total de pontos em 2010/11 (15.400), cimentando um recorde já estabelecido. É para já o terceiro melhor registo da temporada, apenas atrás de Inglaterra e Espanha e à frente do conseguido por Alemanha e Itália.

* Ponto da situação (actualizado a 7 de Abril de 2011):

 

 

Os números abaixo deixam a resposta: o F.C. Porto surge em primeiro lugar, à frente do Benfica. O Sporting vem a seguir, com o Sp. Braga mais atrás, mas em clara aproximação aos leões. Dragões e águias contribuem com mais de metade do total (54,6 por cento), mas o Sp. Braga já vale quase um quinto do total.

Há mais seis equipas a pontuar nos últimos cinco anos, mas o seu contributo não chega a sete por cento do total.

Total dos últimos cinco anos: 48.196
Contributo nos últimos cinco anos:

F.C. Porto: 14,019 (29,1%)
Benfica: 12,136 (25,2%)
Sporting: 10,241 (21,2%)
Sp. Braga: 8,667 (17,9%)
Nacional: 0,916 (1,9%)
Marítimo: 0,800 (1,7%)
U. Leiria: 0,500 (1,0%)
P. Ferreira: 0,393 (0,8%)
V. Setúbal: 0,309 (0,6%)
V. Guimarães: 0,214 (0,4%)

2010/11
Total*: 77 pontos a dividir por 5 equipas (15.400)
F.C. Porto=22 (4,400)
Sp. Braga=20 (4,000)
Benfica=18 (3,600)
Sporting=13 (2,600)
Marítimo=4 (0,800)
*Em actualização

2009/10
Total: 60 pontos a dividir por 6 equipas (10.000)
Benfica=20 (3,333)
F.C. Porto=19 (3,167)
Sporting=14 (2,333)
Nacional=5,5 (0,916)
P. Ferreira=1,5 (0,250)
Sp. Braga=0 (0)

2008/09
Total: 47,500 pontos a dividir por 7 equipas (6.785)
F.C. Porto=16 (2,285)
Sp. Braga=14 (2,000)
Sporting=12 (1,714)
Benfica=3 (0,429)
V. Guimarães=1,5 (0,214)
V. Setúbal=1 (0,143)
Marítimo=0 (0)

2007/08
Total: 55,500 pontos a dividir por 7 equipas (7.928)
Sporting=17 (2,428)
F.C. Porto=14 (2,000)
Benfica=13 (1,857)
Sp. Braga=7 (1,000)
U. Leiria=3,5 (0.500)
P. Ferreira=1 (0,143)
Belenenses=0 (0)

2006/07
Total: 48,500 pontos a dividir por 6 equipas (8.083)
Benfica= 17,5 (2,917)
F.C. Porto= 13 (2,167)
Sp. Braga= 10 (1,667)
Sporting= 7 (1,166)
V. Setúbal= 1 (0,166)
Nacional= 0

Sistema de cálculo da UEFA:
São consideradas as últimas cinco temporadas. Para cada uma, considera-se o total de pontos conseguidos pelas equipas (2 por vitória, 1 por empate, metade destes valores nas pré-eliminatórias), dividido pelo total de equipas desse país que participam nas competições europeias do ano em causa.
A isto há que acrescentar cinco pontos de bónus por cada presença nos oitavos-de-final da Champions e, depois, nas duas provas, um ponto pelos quartos-de-final, meias-finais e outro ainda pela chegada à final. O acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões rende quatro pontos de bónus.
O ranking actual determina a distribuição das equipas nas provas europeias em 2012/13. Em 2011/12, Portugal terá cinco presenças: duas na Liga dos Campeões e três na Liga Europa.

publicado por carlitos às 22:43

 

É hoje que o Sp. Braga pode começar a desenhar o mais perfeito cenário dos seus 90 anos se conseguir um reaultado positivo e com ele acalentar boas hipóteses de passar ás meias finais da Europa League. Desde ontem em Kyiv onde foram recebidos com temperaturas com cerca de 5º mas com previsão de chuva para a hora do jogo, os jogadores e restante comitiva visitaram a parte histórica daquela que é considerada a cidade mais ocidental da Ucrânia. Para logo mais á noite espera-se casa cheia no estádio Lobanovsky mas nada que belisque o espírito guerreiro dos bracarenses que esta época já jogaram em verdadeiros infernos como foram os casos de Celti, Sevilla, Arsenal, Partizan e Liverpool onde moram os adeptos mais carismáticos da velha albion. Por isso, não será pelo clima intimidante (longe, por exemplo da lotação do Axa, com aproximadamente 16.000 lugares), o Sp. Braga vai interiorizando a necessidade de fazerem o jogo da sua vida para fazerem história e ficarem responsáveis pela mais bela página do clube em competições europeias. Jáo são desde o momento em que eliminaram o Liverpool, porém e como estão cada vez mais perto de poderem colocar mãos em tão desejado troféu, convém que o sonho se torne realidade e que Braga faça mais uma vez uma grande festa, qual S. João antecipado. Boa sorte para toda a equipa e que venham com um bom resultado. CAR

publicado por carlitos às 16:28

 

 

Quantas tardes e noites se viveram no velhinho e belo 1º de Maio?

Eu pessoalmente lembro-me como se fosse hoje, por exemplo do meu primeiro jogo uefeiro, em 1978, contra os malteses do Hibernians em que goleamos e passaríamos á eliminatória seguinte onde encontramos os ingleses do West Bromwich Albion, acabando aí a carreira europeia do Sp. Braga

Mas a companhia dos amigos em grandes grupos onde todos convergiam para o mesmo sitio, os cânticos ensaiados para a performance sair perfeita, a alegria contagiante por ser Domingo e ser dia de jogo no 1º de Maio, a chuva e a cabeça a dar a dar á procura do melhor ângulo de jogo por causa do vizinho, os pingantes que chegavam até aos ossos, ou o rabo que congelava sempre que experimentava o frio granítico das imponentes bancadas. A pista primeiro de cinza e depois de tartan que serviam para ludibriar os adversários em "corta-mato" ou para festejar qual Generoso ao colo de um agente da PSP. A magestosa tribuna. A chamada Maratona com a sua imponente torre com vista privilegiada sobre a cidade, as esculturas em bronze que recebiam as pessoas no exterior do Estádio e que faziam lembrar o lema "mente sã em corpo são", o verdejante mas por vezes maltratado parque da Ponte, local idílico perfeito para namoriscar depois dos jogos, o lago com seus barcos de recreio. Toda aquela envolvente mágica e única que culminava com o magestoso anfiteatro bracarense mandado construir por Salazar e cuja inauguração foi dos dias mais festivos que as gentes da cidade lembram. A paixão e o Amor logo aqueciam os corações ao alto as gargantas gritavam golo para todo o Picoto ouvir, as romarias Avenida da Liberdade acima, após mais um jogo, faziam-se sentir aos milhares, buzinas a chamar outras buzinas, caras alegres e satisfeitas por mais um triunfo, e os jogadores das nossas vidas. Aquele vermelho e branco com os castelos e Nossa Senhora de Braga ao peito para proteger e dar sorte são ainda hoje elementos inolvidáveis cuja meninice e adolescência souberam amar e venerar, para hoje, homens feitos contarmos aquela histórias de verdadeiras enchentes e de jogos importantes da Taça de Portugal ou da Uefa, dos escaldantes derbies com o Guimarães ou com qualquer um dos três principais clubes da altura.

 Lembrar-me hoje de nomes como os Chicos (Gordo e Faria) Nelinho ou Conhé, Hélder, João (Pilas) Valter ou Fidalgo, Rui Correia, Mendes, Artur, Fernando, João Cardoso, Pinto, Canavarro, Lito, Marinho Dito ou Nélito, Barroso ou Zé Nuno Azevedo ou mesmo ou Jorge Gomes, Karoglan Edmilson, Riva, Jordão, Baltazar, Bruno, Jorge Ferreira, Quim, Odaír, Idalécio ou os malogrados Pedro Lavoura ou Miklos Fehér ou os treinadores Mário Imbelloni e Mário Lino, Juca, M. Cajuda ou Carlos Manuel ou ainda Humberto Coelho ou Oliveira trazem-me muita saudade e nostalgia, palavras tão portuguesas quanto genuíno é esse sentimento de Amor a um Clube a uma Cidade a um  Povo a um Símbolo que nos enobrece o espiríto e faz de nós novamente e sempre que quisermos, aqueles meninos de outrora, verdadeiros bandos de putos á rédea solta, que não sabiam o que era a crise ou o FMI tão pouco a recessão, apenas queriam saber do seu Braguinha e seus ídolos e imitá-los nas peladinhas quese faziam entre amigos, que aquela tarde de Domingo fosse mais uma vez nossa, completamente nossa.

 Hoje, apesar de homens feitos, num novo século e novo estádio e por isso em tempos modernos, lembramos outros tempos, que nos toldou os ideais e as preferências por querer ser do SC BRAGA jamais podemos esquecer essas raízes esse tempo feito de esperança e de inocência.

 

A eles, todos os jogadores que nos proporcionaram tardes e noites de magia, naquele palco também ele mágico e que felizmente ainda existe para nos fazer sorrir e lembrar, mesmo que com uma lágrima no canto do olho pela idade que passou, aqui fica uma homenagem sincera e genuína de alguém que cresceu com eles. (Com agradecimento ao cabanasaxa, pelos videos disponibilizados na 'net). CAR

 

tags:
publicado por carlitos às 06:43

Numa curta declaração ao País, o primeiro-ministro confirmou que o Governo já avançou com um pedido de ajuda financeira à União Europeia.

 «O governo decidiu hoje mesmo dirigir à Comissão Europeia um pedido de assistência financeira por forma a garantir as condições de financiamento do nosso país, ao nosso sistema financeiro e à nossa economia
», disse José Sócrates esta noite em São Bento.

«Informei desta decisão o senhor Presidente da República a quem solicitei que realizasse as diligências que entendesse necessárias juntos dos restantes partidos políticos», disse o líder executivo.

Segundo José Sócrates o motivo deste pedido teve início com «a rejeição do Programa de Estabilidade e Crescimento» que «agravou de forma dramática a situação financeira do país. Foi o sinal mais errado que o país podia ter dado aos mercados financeiros. Foi o sinal errado no momento errado», declarou.

Passos Coelho já reagiu às declarações do primeiro-ministro, referindo que «já vivemos com um apoio assistido do BCE» e assegurou que o «PSD não deixará de apoiar este pedido de ajuda externa que o Governo hoje endereçou à União Europeia».

 Po seu lado O Fundo Monetário Internacional (FMI) diz que não recebeu ainda um pedido de ajuda de Portugal mas está pronto para ajudar o País.

"Tomámos conta dos ‘statements' do primeiro-ministro português José Sócrates e do presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, sobre a intenção de Portugal de pedir a activação dos mecanismos de assistência financeira. Não recebemos um pedido de ajuda. Estamos prontos para ajudar Portugal", revelou o FMI.

O primeiro-ministro, José Sócrates, comunicou hoje ao País que o Governo já endereçou a Bruxelas um pedido de ajuda financeira, mas não adiantou o montante.

"Tudo tentei, mas em consciência julgo que chegamos ao momento em que não tomar essa decisão [pedir ajuda] acarretaria riscos que o País não deve correr. Por isso gostaria de informar os portugueses que o Governo decidiu hoje mesmo dirigir à Comissão Europeia um pedido de ajuda financeira", disse hoje o primeiro-ministro numa declaração em São Bento.


 

tags:
publicado por carlitos às 00:35

No dia do grande jogo da Ucrânia entre Dínamo e SC Braga, deixamos aqui o plantel da equipa adversário dos bracarenses e o estádio Valeriy Lobanovskiy, palco do  jogo de amanhã.

 

 

 

 

Guarda Redes

Defesa

Médio

Avançado

1

Oleksandr Shovkovskiy

2

Danilo Silva

4

Tiberiu Ghioane

7

Andriy Shevchenko

31

Stanyslav Bohush

3

Betão

5

Ognjen Vukojevic

9

Andriy Yarmolenko

35

Maksym Koval

6

Goran Popov

8

Oleksandr Aliyev

10

Artem Milevskyi

71

Denys Boyko

17

Taras Mykhalik

11

Michael

11

André

74

Artem Kuchak

26

Andriy Nesmachnyi

14

Frank Temile

22

Artem Kravets

   

 

30

Badr El Kaddouri

14

Sergiy Rybalka

49

Roman Zozulya

   

 

34

Evgen Khacheridi

18

Facundo Bertoglio

77

Guilherme

   

 

44

Leandro Almeida

19

Denys Harmash

   

 

   

 

   

 

20

Oleg Gusev

   

 

   

 

   

 

21

Gérson Magrão

   

 

   

 

   

 

23

Roman Eremenko

   

 

   

 

   

 

36

Milos Ninkovic

   

 

   

 

   

 

37

Ayila Yussuf

   

 

   

 

   

 

45

Vladyslav Kalytvyntsev

   

 

 

  Entretanto esta quarta-feira, na antevisão do jogo Domingos Paciência e Miguel Garcia acreditam num jogo ao nível do apresentado em Liverpool.

Pretendem um empate com golos para depois resolver o jogo em Braga. Falou-se também de Matheus:

Domingos Paciência fez a antevisão esta quarta-feira o jogo contra o Dynamo Kyiv e assegurou que o Sp. Braga «não vai jogar para o 0-0». O objectivo dos arsenalistas passa por «actuar da mesma forma que em Liverpool» e, pelo menos, «igualar esta grande equipa que é o Dynamo» para depois resolver a eliminatória em casa.

Vai haver um Sp. Braga ambicioso e corajoso no Valeri Lobanovskyi. A garantia foi dada pelo próprio Domingos Paciência e reforçada depois por Miguel Garcia.

Para o treinador, um empate na Ucrânia será um «bom resultado» se for alcançado com golos mas o triunfo é a meta principal. «Não vamos jogar para o 0-0. Vamos jogar da mesma forma que em Liverpool e se os níveis de atitude e concentração da equipa estiverem nos limites podemos igualar esta grande equipa que é o Dynamo, mais calculista e muito forte nas transições», referiu Domingos.

O treinador dos minhotos chamou a atenção para os «17 internacionais» da equipa de Kiev, «o que traduz bem o potencial do adversário» mas reforçou a «boa fé num bom resultado» para além do seu modelo de jogo assentado no colectivo com destaque para Shevchenko, Eremenko ou o melhor marcador na prova, Artem Milevskyi. Depois, recordou o seu ex- pupilo Matheus. «Sei que ele apostou no Dnipro que íamos passar a eliminatória. Ele tem essa confiança e nós também», concluiu o técnico.

Miguel García foi o jogador que acompanhou o mister no pré-jogo e também falou do apoio que o avançado brasileiro prestou à equipa bracarense. «Foi nosso colega durante algum tempo e hoje esteve no hotel connosco. Está a acompanhar os nossos resultados e a torcer por nós», destacou o lateral, acrescentando que «um bom resultado em Kiev é um empate com golos e um excelente resultado é a vitória». «É isso que vamos procurar fazer, para depois resolver em Braga», rematou o número 15.

 

Do lado dos ucranianos sobranceria não faltou a Semin treinador do Kyiv que se mostra favorita até para a final da competição:

Yuriy Semin, treinador do Dynamo Kyiv, falou hoje aos jornalistas para antever o confronto com o Sp. Braga e não teve meias medidas na apresentação das suas opiniões. Para o líder dos ucranianos, os seus jogadores são «favoritos não só na eliminatória como para chegar à final».

O técnico do Dynamo Kyiv deixou hoje quaisquer contenções de parte e deu uma animada conferência de imprensa para antever o duelo com os arsenalistas. Para Semin, este jogo de quinta-feira é pouco mais do que uma mera formalidade: «Somos favoritos não só na eliminatória, como somos favoritos para chegar à final».

«Neste momento, os [meus] jogadores têm mais experiência, vários jogos internacionais e há uma série de posições em que estamos melhor que antes», acrescentou ainda.

Sobre o Sporting de Braga, poucas palavras mas um elogio: «Este Sp. Braga não tem muito a ver com a equipa que defrontou o Shakhtar e que teve alguns problemas no início do campeonato. É uma equipa diferente, para melhor, que conseguiu eliminar o Liverpool e tem somado vitórias na Liga portuguesa, sem sofrer muitos golos. Nós vimos um monte de jogos do Sp. Braga e a equipa parece bem no plano físico», constatou.

 

A terminar,um pouco de História sobre a cidade sua Econolia e outras curiosidades

ESTÁDIO OLÍMPICO, KIEV

 

Morada: Rua Velyka Vasylkivska, nº 55, Kiev

Capacidade para o UEFA EURO 2012™: 63.195

Pista de atletismo: Sim

Transportes: Metro/Autocarro/"Trolleys"

 

O Estádio Olímpico, o maior recinto do UEFA EURO 2012™, está a ser alvo de remodelação total tendo em vista a fase final, obras que incluem um novo tecto transparente.

 

 

Província: Município da Cidade de Kiev

População: 2.820.000

Área: 839km²

Altitude: 168m acima do nível do mar

Clima: Invernos gélidos e Verões abrasadores. A temperatura mais fresca alguma vez registada foi -32,2ºC; a mais elevada, 39,4ºC

Existe um monumento na margem direita do rio Dniepre que retrata um barco transportando os quatro gémeos eslavos que se crê terem fundado Kiev. A irmã, Lybid, está na proa, em posição de liderança e elegantemente erguida frente à tempestade. Schek e Khoryv estão atrás de si, orgulhosos e vigilantes, de lanças em riste. O terceiro irmão, Kyj, que dá o nome à cidade, repele o passado com o seu arco.

É uma representação icónica de um local que, desde a sua fundação, no séc. V, como entreposto comercial, tem sido marcado pela guerra e períodos conturbados, mas que, ainda assim, permaneceu de forma graciosa ao longo do tempo. Designada capital da Ucrânia depois de ter herdado o estatuto de Kharkiv em 1934, Kiev é actualmente uma cidade de contrastes impressionantes, onde uma mescla de ostentação de arquitectura imponente se funde na conveniência soviética.

 

HISTÓRIA 

Descrita como a "alegria do Mundo" por cronistas medievais, entre o séc. X e XIII, Kiev foi capital do Rus de Kiev, a primeira grande civilização eslava do Leste. Tendo prosperado sob o domínio dos povos escandinavos, em 989 o knyaz (soberano) Volodymyr decidiu juntar-se a Constantinopla, casar com a filha do imperador e adoptar o Cristianismo Ortodoxo, tendo a população sido conduzida até Dniepre para um baptismo em massa. Kiev transformou-se num centro cultural e político de reconhecida beleza, mas os dias de glória foram de curta duração e o declínio tornou-se incontornável quando os mongóis saquearam a cidade, em 1240.

Por altura da passagem de Catarina, A Grande, em 1787, pouco sobrava da outrora alegre Kiev. "Procurei por uma cidade", lamentou-se. "Mas até agora só encontrei duas fortalezas e alguns povoados remotos". Depois surgiu a lei de Lázaro. Sob domínio russo, começou a crescer num ápice devido ao aumento da produção de açúcar na viragem do século XX, apesar de ter atravessado um período difícil durante a Revolução Bolchevique, Kiev ficou de rastos após a ocupação nazi, entre 1941 e 1943. Os anos do pós-guerra rapidamente trouxeram a industrialização e a construção de blocos habitacionais (80 por cento da população em 1943 era constituída por sem-abrigo) e, quando a União Soviética chegou ao fim, Kiev tornou-se na capital ucraniana.

 

ECONOMIA

A cidade pode ter sido fundada como entreposto comercial, mas foi apenas a partir da revolução industrial do império russo, no final do século XIX, que realmente se desenvolveu. Actualmente, Kiev é a capital científica, educacional e industrial da Ucrânia, especializada em borracha vulcanizada, materiais de construção, fertilizantes e indústria aeronáutica. Grande parte da sua electricidade provém de fontes renováveis – hidroelectricidade e energia geotérmica –, especialmente desde o acidente de 1986 ocorrido em Chernobyl, situada 100 quilómetros a norte de Kiev.

 

A VER

Kiev não é a mais compacta das cidades. Perto do Estádio Valeriy Lobanovskiy, a rua Khreshchatyk passa pelo centro e passear-se por ela é um passatempo dos habitantes de Kiev, especialmente aos fins-de-semana, quando está fechada ao trânsito. A rua foi arrasada durante a Segunda Guerra Mundial e reconstruída no imponente estilo soviético, mas à cidade não falta beleza estética. Os incríveis mosaicos e frescos do século XI da Catedral da Santa Sofia saltam à vista e o local é palco de coroações, inúmeras cerimónias e a primeira escola e biblioteca de Kiev.

Tornada famosa a nível internacional pelos romances de Andriy Kurkov, a Andriyivski uzviz (a Ladeira de André), uma das ruas mais antigas da cidade, está na sombra da magnífica Igreja de Santo André, projectada pelo arquitecto responsável pelo Palácio de Inverno de São Petersburgo. Seguindo pelo "Montmartre de Kiev", a meio encontra-se o Museu Bulgakov, onde Mikhail escreveu o livro "A Guarda Branca", enquanto um passeio de artistas, já perto do topo, se transforma numa gigantesca galeria de arte ao ar livre ao fim-de-semana. Mais à frente está o incrível Mosteiro de Kyevo-Pecherska Lavra, construído em 28 hectares de uma colina sobre o Dniepre.

Grande parte da margem esquerda está situada em terra recuperada e talvez um benefício imprevisto tenha sido a criação de cidades balneares. Existem algumas na ilha de Trukhaniv e no Hydropark, com vistas soberbas sobre o Lavra, classificado como património mundial pela UNESCO. Num registo diferente – mas não menos vistoso – está o ginásio ao ar livre grátis de Hydropark e uma colecção de aparelhos pós-apocalípticos, desde peças de carrinha usadas até sucata.

 

TRANSPORTES


Entrar e Sair

Kiev possui dois aeroportos, o de Zhulyany (8km a sudoeste do centro da cidade), para viagens internas, e o Boryspil Internacional (35km a leste). O último destes tem serviços regulares para Varsóvia, Lviv, Kharkiv e Donetsk. A Estação Central de Autocarros fica três quilómetros a sul do centro da cidade e oferece viagens mais longas, mas também mais baratas, para outras cidades-sede do UEFA EURO 2012™: Lviv (10 horas), Kharkiv (7) e Donetsk (11h30). A estação de comboios, situada no coração da cidade, tem ligações, muitas delas pela noite dentro, a Kharkiv (a 6 horas), Lviv (6h30), Donetsk (12), Varsóvia (15), Poznan (18 horas) e Wroclaw (25).

 

Distâncias para outras cidades-sede do UEFA EURO 2012™:

Kharkiv – 460km

Lviv – 530km

Varsóvia– 800km

Donetsk – 810km

Wroclaw – 1150km

Poznan – 1120km

Gdansk – 1150km

 

Cidade e Arredores

Da rede de transportes públicos fazem parte autocarros, "trolleys", eléctricos e um metropolitano sempre em expansão. Este último é geralmente o meio de transporte mais rápido e conveniente para andar de um lado para o outro, mesmo que a descida às profundezas da cidade seja uma viagem digna de registo. Situada a 102 metros de profundidade, a estação de Arsenalna é uma das mais profundas do Mundo. Está aberta das 6h00 até à meia-noite e o bilhete de uma viagem na linha azul-turquesa custa 1,7 hryvnias (cerca de 1,5 euros). Um passe mensal custa 95 hryvnias (8,30 euros). Tal como muitos sistemas de metropolitano soviéticos, as estações são limpas e cuidadosamente decoradas, algo que contrasta com a menos fiável rede de autocarros, que lida diariamente com o trânsito de Kiev.

 

DESPORTO
Excelência desportiva e Kiev andam de mãos dadas. O FC Dynamo Kyiv tem monopolizado o campeonato ucraniano, mas isso é um pequeno domínio quando comparado com a hegemonia do Spartak Kiev, equipa de andebol feminina. Conquistou 20 campeonatos da URSS consecutivos, entre 1969 e 1988, e também causou impacto nas competições europeias. Borys Shakhlin, conhecido pelo "Homem de Ferro", venceu sete medalhas de ouro olímpicas, um palmarés impressionante, apesar da compatriota e ginasta Larysa Latynina ter ganho nove. Nenhum deles nasceu em Kiev, mas ambos mudaram-se para a cidade muito cedo, tal como o atleta Valeriy Borzov, vencedor dos 100 e 200 metros nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972. Kiev também é a cidade-natal do hoquista no gelo Ruslan Fedotenko, duas vezes vencedor da Stanley Cup.


FUTEBOLKiev é a casa da equipa dominante no futebol ucraniano, o FC Dynamo Kyiv. No entanto, o Dínamo não é a única formação da capital presente na primeira divisão. Juntamente com ele estão o FC Arsenal Kyiv, anteriormente conhecido como CSKA, a equipa do exército, e o FC Obolon, patrocinado por uma por uma empresa de cervejas. Ainda assim, o Dínamo é figura de destaque devido ao seu longo historial de sucesso, que remonta à era soviética. Nele jogaram três vencedores da Bola de Ouro: Oleg Blokhin (1975), IgorBelanov(1986) eAndriyShevchenko(2004).


FCDynamoKyiv
Alcunha:Bilo-syni(Brancos-e-azuis)
Fundação:1927
Palmarés: Taça das Taças (2) 1975, 1986; SuperTaça Europeia (1) 1975; Campeonato ucraniano (13) 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2003, 2004, 2007, 2009; Taça da Ucrânia (9) 1993, 1996, 1998, 1999, 2000, 2003, 2005, 2006, 2007; Campeonato da URSS (13) 1961, 1966, 1967, 1968, 1971, 1974, 1975, 1977, 1980, 1981, 1985, 1986, 1990; Taça da URSS (9) 1954, 1964, 1966, 1974, 1978, 1982, 1985, 1987, 1990
Jogador emblemático: Oleg Blokhin (1969-1988)
Sabia que? O Dínamo foi a primeira equipa da antiga União Soviética a conquistar um troféu europeu, quando ergueu a Taça das Taças em 1975.

publicado por carlitos às 00:02

Outra Cidade de Braga
mais sobre mim
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab




20

25


ELEVADOR DO BOM JESUS DO MONTE
pesquisar
 
últ. comentários
ola Sílvia.Como amigo que fui do Mário, não podia ...
Olá Carlos!Peço imensa desculpa por não ter respon...
Força Sporting!!! Vamos ganhar Zurich!!!!
Se foi apanhado nas malhas do doping só terá de pa...
Creio que virá a ser uma grande jogador!! já tinha...
É bom ver que grandes marcas como a HP têm em cont...
Será verdade? Este Alan gosta muito de picar o Jav...
Sinceramente acho que este senhor ficou tempo dema...
Poderíamos ter uma equipa já apurada para a próxim...
Vale é que muitos pais avós (agora promovidos a am...
LARGO do PAÇO BRAGA
BRAGA
JARDIM SANTA BÁRBARA - BRAGA
BANCO DE PORTUGAL - BRAGA
SC BRAGA
Outra Cidade de Braga
VICE-CAMPEÃO NACIONAL
ESTÁDIO AXA
subscrever feeds