...onde o facto pactua com a verdade... sempre!!!

contador
Quarta-feira, 31 de Agosto, 2011

 

 

 

ABC de BRAGA: Minhotos querem fazer mais esta época.


Numa altura em que a equipa sénior se prepara, com as armas ao seu dispor, para atacar mais uma época deixamos aos aficionados e simpatizanyes e sócios uma pequena resenha história pelo clube bracarense com mais títulos nacionais a nível de cidade:

História do ABC - Académico Basket Clube

Fundado em 29 de Dezembro de 1933, o ABC teve ao longo da sua vida, desportos diversos como hóquei em patins, basquetebol, atletismo, hóquei em campo, voleibol, xadrez e até, patinagem artística. Em 6 de Novembro de 1958, no decurso das bodas de prata do clube, o reconhecimento da cidade de Braga pelo serviço prestado pelo ABC à juventude, é expresso pelo então Vereador José Maria Rodrigues, que propõe a entrega da medalha de Ouro da cidade ao ABC.

1960 foi um ano rico para o ABC. E não só no hóquei em patins ou no atletismo. O voleibol reapareceu depois de um longo interregno. E reapareceu em masculinos e femininos. Em masculinos, no Campeonato Regional do Norte da Promoção e em femininos, no Campeonato Regional do Norte.

O ano de 1961 foi também importante para o ABC no atletismo, no hóquei em patins e também no andebol de sete. Mas o ABC não vivia unicamente para si próprio. Preocupava-se com a comunidade. Era um actor social. O Diário do Minho de 26 de Junho de 1961, fazia o seguinte cabeçalho: “Festival Desportivo elegante organizado pelo ABC de Braga e integrado nas Festas da Cidade", para anunciar os jogos de voleibol feminino e de hóquei em patins que o Académico iria realizar com o Leixões e a Selecção do Minho, respectivamente.

O andebol do ABC iniciou a época em Janeiro de 1965 com o Torneio Início da Associação de Desportos de Braga (ainda com árbitros do Conselho da Associação de Andebol do Porto). Participaram ABC, SC de Braga, Círculo Arte e Recreio de Guimarães, Desportivo Francisco de Holanda e Vitória Sport Clube, também de Guimarães. O ABC foi 3º com Moreira, Costa, Guilherme, Mateus, Assis, Creissac, José Afonso, Santos, César, C. Jorge, Santos, Saraiva.

Há pouco mais de duas décadas, o hóquei em patins era no entanto a modalidade rainha, chegando a ceder alguns atletas às várias selecções nacionais. Em 1979, o ABC, enquadrado pela Associação de Desportos de Braga - à época a maior Associação de Desportos do país - fazia-se representar em várias modalidades: andebol, hóquei em patins, basquetebol, voleibol, ténis de mesa, atletismo e ginástica. Em 1982/83, o ABC caminhava para uma bipolarização em termos de modalidades praticadas: hóquei em patins e andebol.

O ponto alto da vida do ABC nos finais de 1983 era, sem dúvida, a presença no Nacional da I Divisão de Andebol, Zona Norte. As equipas em competição eram as do Maia, ABC, Quimigal, SC Braga, Beira-Mar, Desportivo da Póvoa, Fermentões e CP Natação. O plantel era constituído pelos guarda-redes Godinho e Marta, pelos 1ª linha Luís Silva, José Barros, Moisés Ferreira, Maurício Ribeiro, Artur Passos e Adelino Silva e pelos 2ª linha António Casaca, Manuel Marinho, Alberto Araújo, Jorge Barbosa, Paulo Ribeiro e Fernando Rito. O treinador era Antero Cadilhe. Sucedeu-lhe Passos e depois António Cunha. Em 8 de Dezembro desse ano, em entrevista ao Correio do Minho afirmava:  “(…) eu, como treinador e agora nesta situação, sempre tive o objectivo de ganhar todas as provas em que entro. É precisamente este espírito “ganhador" que estou a procurar incutir aos academistas(…)".
Com a subida à primeira divisão da equipa de andebol, António Cunha foi o mentor do ABC tal qual o conhecemos. A mudança de cor do equipamento de preto para amarelo provocou uma cisão no clube, de tal modo que alguns dos sócios mais antigos abandonaram de vez o clube.

Esse foi, talvez, o preço a pagar pela glória. Apenas três épocas depois de ter assegurado o título da segunda divisão, o ABC completou uma ascensão meteórica com a conquista do primeiro de dez campeonatos nacionais da primeira divisão (1986 / 87).
Conquistas essas que continuam hoje a marcar o ABC como a melhor escola de formação de atletas de andebol em Portugal e uma referência para a modalidade europeia.

Dominando por inteiro a década de 90 e o inicio do seculo XXI, com inumeros titulos nacionais em todos os escalões e a presença em 2 finais de competições europeias, o ABC de Braga comemorou as bodas de diamante em Dezembro de 2008, e viu por essa ocasião, reconhecido publicamente o intenso trabalho desportivo e social desenvolvido, culminando com a atribuição da Medalha de Mérito Desportivo, atribuido por parte da Secretaria de Estado da Juventude e Desporto.
Força ABC! Força Campeões!!!

Equipa Sénior

 

João Santos

Lateral Esquerdo

Nº8
1.93m
80kg
19 anos


José Pedro Coelho
 Lateral Esquerdo

Nº23
1.90m
92kg
31 anos


Simão Félix

Guarda-redes

Nº12
1.89m
87kg
18 anos


Pedro Seabra
 Central

Nº9
1.79m
78kg
21 anos


Carlos Resende

Treinador


Humberto Gomes
Guarda-redes

Nº1
1.93m
95kg
33 anos


José Rolo

Lateral Direito

Nº3
1.87m
93kg
22 anos


Fábio Vidrago
Ponta Esquerdo

Nº4
1.80m
69kg
22 anos


João Rodrigues

Pivot

Nº6
1.90m
101kg
20 anos

Tiago Pereira
Central

Nº7
1.87m
87kg
22 anos


Miguel Sarmento

Ponta Direito

Nº13
1.85m
89kg
21 anos

Rui Lourenço

Ponta Direito

Nº17
1.78m
78kg
26 anos


Mário Peixoto

Ponta Esquerdo

Nº19
1.80m
76kg
23 anos

José Ricardo Costa
 Pivot

Nº22
1.90m
99kg
36 anos


Nuno Rebelo

Lateral Direito

Nº23
1.93m
80kg
20 anos

Álvaro Rodrigues
 Lateral Esquerdo

Nº27
2.02m
103kg
30 anos


Bruno Dias

Guarda-redes

Nº38
1.81m
81kg
23 anos

Luís Bogas
Lateral Esquerdo

Nº57
1.90m
90kg
31 anos


Carlos Ferreira

Treinador Adjunto


Armando Fernandes
 Director Desportivo


Dr. Moura Leal

Médico

José Teixeira

Fisioterapeuta


Sérgio Caniço

Central

Nº10
1.84m
89kg
19 anos

André Azevedo
 Ponta Direito

Nº93
1.78m
73kg
18 anos


João Marques

 

com fotos: http://www.abcdebraga.com/?1&it=escalao_membro&mop=7689&co=55

 

tags:
publicado por carlitos às 17:24

Segunda-feira, 29 de Agosto, 2011

 

Vitória de Setúbal e Sp. Braga estiveram perto de ficar a zeros pela terceira vez consecutiva, na Liga, mas um golo de Hélder Barbosa, a oito minutos do fim, contrariou essa tendência. Um resultado que permite à equipa «arsenalista» assumir, ainda que à condição, o topo da tabela classificativa.

Pelo Bonfim andou o «vírus FIFA», já que Quim e João Silva falharam o jogo devido ao compromisso das selecções. A equipa da casa sentiu mais a ausência, revelando problemas no último terço do campo, mas o Sp. Braga teve problemas com a trave, na qual acertou duas vezes. O golo de Hélder Barbosa desempatou.

Equilíbrio a meio-campo, pragmatismos diferentes na frente

Ao apostar em Mossoró em vez de Salino, Leonardo Jardim anunciou desde logo um Sp. Braga audaz no Bonfim. Uma ideia confirmada em apenas dois minutos: Mossoró obrigou Diego a defesa apertada logo na primeira jogada do encontro, e o canto consequente deixou Alan à beira do golo, mas Miguelito evitou a festa visitante com um corte para a trave.

O Vitória respondeu com um remate de Bruno Amaro, para defesa de Berni, substituto de Quim (10m). Refeita do susto inicial, a equipa da casa equilibrou a balança a meio-campo, mas no ataque mostrou-se menos perigosa que o adversário. A apatia de Henrique muito contribuiu para isso, ainda que o avançado brasileiro tenha mostrado serviço aos 28 minutos, com um remate ao lado.Era na baliza contrária que o golo parecia mais próximo, contudo. Aos 37 minutos a bola voltou a beijar a trave, quando um cruzamento de Hélder Barbosa desviou no corpo de Ricardo Silva.

Hélder Barbosa a contrariar a tendência

A segunda parte começou com dificuldades mútuas para criar lances de verdadeiro perigo, uma realidade apenas desmentida pontualmente por lances de bola parada. Só aos poucos é que o Sp. Braga procurou conquistar o meio-campo contrário, mas Diego fez questão de mostrar que haveria uma última barreira para superar.

Do lado do Vitória continuava Pitbull a assumir as despesas do ataque, mesmo depois de Bruno Ribeiro ter trocado Henrique por Bruno Severino. De bola parada ou corrida, a estrela da equipa sadina foi procurando sempre a sorte com o seu forte remate, mas sem ser feliz.

Leonardo Jardim mostrou que queria o triunfo, ao lançar Nuno Gomes para o lugar de Alan (73m), e acabou por ser premiado. Hélder Barbosa «inventou» um golo a oito minutos do fim, e contrariou a tendência recente para o nulo (tinham acabado assim os dois últimos duelos para a Liga).

 

Leonardo Jardim, treinador do Sp. Braga, analisa o triunfo em Setúbal, para a 3ª jornada da Liga:

«Na primeira parte houve algum equilíbrio, até no número de situações de golo, embora com sinal mais positivo do Braga, atirando duas bolas à trave. Na segunda parte foi um jogo de sentido único. O Braga dominou, criou muito futebol em termos de volume, e criou algumas situações. Acaba o jogo a concretizar o golo que permitiu sair com uma vitória que se justifica, principalmente por aquilo que se fez na 2ª parte.»

[sobre a importância de subir ao primeiro lugar, ainda que à condição] «Não é muito importante neste momento. O importante é não termos golos sofridos e termos sete pontos com dois jogos fora de casa. Estamos a praticar um futebol intenso, com grandes equilíbrios, e com uma nota dominante. Não conseguimos ganhar em Vila do Conde, mas a atitude foi semelhante aos outros jogos. Isso satisfaz-me, sabendo que é uma equipa nova. Acredito que a equipa irá crescer e consolidar processos.»

 

V. Setúbal-S. Braga, 0-1 (destaques)
Berni esteve à altura da estrelinha de Barbosa


Hélder Barbosa
A oportunidade de uns é o sorriso de outros. O futebol é mesmo assim. Pizzi concretizou a mudança para a Liga espanhola, Hélder Barbosa vai aproveitando para mostrar serviço. Depois do grande golo em Berna, o extremo esquerdo garantiu agora a conquista de três pontos em Setúbal, com outro belo tento. No final da primeira parte também atirou à barra, mas aí com pouco mérito, já que a bola bateu em Ricardo Silva.

Pitbull
Já costuma ser a principal referência do ataque sadino, mas na ausência de João Silva teve de procurar criar jogadas de perigo e também finalizar. Tentou aplicar o pontapé forte em várias ocasiões, de bola parada e não só, mas sem ser feliz.

A desilusão: Henrique
Chamado à titularidade para colmatar a ausência de João Silva, chamado à selecção sub-21, o avançado brasileiro esteve longe de fazer esquecer o colega. Passa muito tempo afastado do jogo, e chega quase sempre atrasado aos lances. Os adeptos só perdoam isso com golos, o que desta vez não aconteceu. Foi, com naturalidade, o primeiro jogador substituído por Bruno Ribeiro.

Outros destaques:

Suswan
Valorizado pela presença no Mundial sub-20, o jovem nigeriano estreou-se com a camisola do Vitória, e logo a titular. Confirmou algum do potencial que tem entusiasmado os responsáveis sadinos, ainda que cometa alguns erros naturais da idade. Algumas falhas no posicionamento e decisões precipitadas são compensadas com indiscutível qualidade técnica e muita garra.

Berni
O regresso de Quim à Selecção proporcionou-lhe a estreia na Liga, com nota positiva. Não foi obrigado a nenhuma defesa de nível elevado, mas esteve sempre muito atento e seguro, sobretudo quando testado pelos remates fortes de Bruno Amaro e Pitbull. Cumpriu a sua parte, mantendo a baliza inviolável, e mostrou que é uma opção válida. Diego, do outro lado, voltou a fazer uma exibição de elevado nível. 

 

Hélder Barbosa: «Vamos lutar pelos lugares cimeiros»
V. Setúbal-Sp. Braga (declarações): extremo dos minhotos marca pelo segundo jogo seguido e diz ter vindo a ganhar ritmo e confiança  

Hélder Barbosa, extremo do Sp. Braga e autor do único golo da sua equipa, na vitória (1-0) sobre o V. Setúbal, em declarações à flash interview da SportTV:
«Aos poucos começo a ganhar confiança e ritmo, algo que não ganhei na época passada. Hoje correu-nos bem. Tenho trabalhado diariamente para jogar, e umas vezes jogo outras não, mas o importante é saber que estou a trabalhar bem. Temos bastante qualidade no plantel e vamos lutar pelos lugares cimeiros.» 

 

 

FICHA DE JOGO
25 Brasil Diego Silva    
2 Nigéria Peter Suswam  
88'
3 Portugal Ricardo Silva    
4 Brasil Anderson do Ó    
5 Portugal Miguelito    
19 Portugal Jorge Gonçalves    
20 Portugal Hugo Leal
76
 
37 Portugal Bruno Amaro
71
 
99 Portugal Neca    
87 Brasil Cláudio Pitbull    
90 Brasil Henrique
60
 
32 Itália Tommaso Berni    
5 Brasil Ewerton    
15 Brasil Baiano  
58'
20 Nigéria Elderson    
26 Brasil Paulo Vinícius  
90+3'
8 Brasil Mossoró
85
 
22 Líbia Djamal    
45 Portugal Hugo Viana  
90'
10 Portugal Hélder Barbosa  
81'
18 Brasil Lima    
30 Brasil Alan
73
49'
 
1 Portugal Matos    
13 Portugal Igor    
68 Brasil Ney Santos    
7 Brasil Bruno Gallo
76
 
8 Portugal Tengarrinha
71
 
28 Portugal Bruno Severino
60
 
70 Portugal Gonçalo Graça    
42 Portugal Rui Vieira    
46 Portugal Palmeira    
6 Brasil Vinicius    
25 Brasil Leandro Salino
85
 
40 Brasil Guilherme    
19 Camarões Meyong    
21 Portugal Nuno Gomes  

 

Pos.EquipaPJVEDGMGS  
1 SC Braga 7 3 2 1 0 3 0 Subiu 3 posições Jogos
2 FC Porto 6 2 2 0 0 4 1 Desceu 1 posições Jogos
3 Académica 6 3 2 0 1 3 3 Desceu 1 posições Jogos
4 Beira-Mar 5 3 1 2 0 3 0 Subiu 5 posições Jogos
5 Olhanense 5 3 1 2 0 4 3 Subiu 2 posições Jogos
6 Benfica 4 2 1 1 0 5 3 Desceu 3 posições Jogos
7 Gil Vicente 4 3 1 1 1 5 5 Subiu 5 posições Jogos
8 V. Setúbal 4 3 1 1 1 4 4 Desceu 3 posições Jogos
9 P. Ferreira 4 3 1 1 1 3 3 Desceu 3 posições Jogos
10 Marítimo 4 3 1 1 1 3 4 Subiu 4 posições Jogos
11 Sporting 2 3 0 2 1 3 4 Desceu 3 posições Jogos
12 Feirense 2 3 0 2 1 1 3 Subiu 1 posições Jogos
13 Nacional 1 1 0 1 0 0 0 Desceu 3 posições Jogos
14 Rio Ave 1 3 0 1 2 0 2 Desceu 3 posições Jogos
15 U. Leiria 0 2 0 0 2 2 4 Subiu 1 posições Jogos
16 V. Guimarães 0 2 0 0 2 0 4 Desceu 1 posições Jogos

 

publicado por carlitos às 22:46

Domingo, 28 de Agosto, 2011

Magrão no SCB?


Segundo o jornal desportivo "Reord" O brasileiro Gerson Magrão vinculou-se ao Sp. Braga por três temporadas. A paciência de António Salvador deu frutos, tendo o líder arsenalista aguardado longas semanas até que estivessem criadas as condições para integrar nos ativos da SAD um elemento muito desejado também por Leonardo Jardim.
O jogador encontra-se em Braga e já colocou o preto no branco até 2014. Todavia, nem esse gesto encerra em definitivo a novela em torno da sua situação jurídica. É que a desvinculação do D. Kiev, a 15 de agosto, foi obtida de forma litigiosa devido a salários em atraso. Os arsenalistas vão proceder à inscrição do médio, mas é certo que os ucranianos retaliarão, retendo o certificado internacional. Daí que o passo seguinte seja a solicitação à FIFA, entidade que vai avaliar de que lado está a razão, de um certificado provisório que permitirá a Gerson Magrão alinhar sem restrições. Uma burocracia que demora cerca de um mês, pelo que a estreia do esquerdino só deverá ocorrer em outubro.
O Sporting de Braga confirmou este domingo oficialmente a transferência de Pizzi para o Atlético Madrid, através do seu treinador, Leonardo Jardim.
O técnico, que falava na conferência de imprensa de antevisão da visita de segunda-feira ao V. Setúbal, na 3.ª jornada da Liga, foi instado a comentar o que a equipa perde com a saída de Pizzi e ganha com a entrada de Fran Mérida e Rivera, os mais recentes reforços arsenalistas.
 
O médio espanhol Fran Mérida, de 21 anos, que chega do Atlético de Madrid, e o avançado mexicano Édson Rivera, que brilhou a grande altura no Mundial sub-20 e que representava o Atlas, chegaram há momentos ao aeroporto do Porto, de onde seguem para Braga.
Com a saída de Pizzi, Leonardo Jardim ganha agora dois jovens reforços que ainda hoje devem realizar os primeiros exames médicos."Não sei dizer porque, não pondo em causa o valor dos jogadores que estão a chegar, o Pizzi era um jogador adaptado, que já conhecia o nosso modelo, já conhecia a casa. Mas o mercado é propício a estas situações, o Sp. Braga é um clube vendedor, fez o negócio e agora tenho é que tentar rentabilizar estes dois novos jogadores", afirmou.
 
Leonardo Jardim reconhece que o Sp. Braga não teve muito tempo para preparar o jogo da 3.ª jornada do campeonato com o V. Setúbal agendado para segunda-feira - os minhotos defrontaram o Young Boys para o playoff da Liga Europa na 5.ª feira -, mas não teme a reação da sua equipa.
"Estou confiante que a equipa vai dar uma resposta positiva. O objetivo é conquistar os 3 pontos e com três dias de preparação estou certo da boa condição da equipa frente a um adversário tecnicamente acima da média", afirmou o treinador este domingo em conferência de imprensa.
Sobre as entradas e saídas no seu plantel, Leonardo Jardim garante que a "espinha dorsal" não foi modificada. "Apesar da agitação do mercado, o Sp. Braga tem uma base estrutural que tem permitido crescer dentro de campo e estamos satisfeitos. Conseguimos os objetivos [entrar na fase de grupos da Liga Europa] e só perdemos 2 pontos com o Rio Ave."
E prossegue: "Até dia 31 vamos ponderar todas as situações, seja Guilherme, Rodrigo Galo ou outra possibilidade de saída".
O técnico dos minhotos sublinhou ainda que "devido à necessidade de adaptação a novos métodos, só daqui a um mês" poderá contar com os reforços a 100%.
Negócio espantou espanhóis. Minhotos compraram passe do médio e preferiram cedê-lo. Pode nunca jogar em Braga, pois «merengues» têm opção de compra fixada em cinco milhões.

O negócio foi concretizado há algumas semanas no máximo segredo e só agora é conhecido por causa de uma inconfidência do técnico do Saragoça. Javier Aguirre, que treina os portugueses Rúben Micael e Fernando Meira, mais o ex-benfiquista Roberto, deixou escapar à Imprensa local que Juan Carlos, médio ofensivo que só conhecera até agora a camisola do Real Madrid, não poderia ser utilizado no jogo de hoje, precisamente frente ao clube onde fora formado, devido à ausência do
certificado internacional.
O central dos bracarenses Ewerton lesionou-se (entorse de grau 2) e vai parar mais de uma semana, segundo informou este domingo o Sp. Braga.
No jogo com o V. Setúbal, agendado para segunda-feira, será Palmeiras a ocupar o lugar deixado vago por Ewerton, mas deverá ser Nuno André Coelho a fazer dupla com Paulo Vinícius no eixo defensivo titular.
Lista de convocados:
Guarda-redes: Quim e Berni.
Defesas: Baiano, Nuno André Coelho, Paulo Vinícius, Palmeira e Elderson.
Médios: Djamal, Vinícius, Guilherme, Salino, Hugo Viana e Mossoró.
Avançados: Alan, Hélder Barbosa, Lima, Nuno Gomes e Meyong.
 
Resultados:
 
Classificação actual quando faltam alguns jogos:
Pos.EquipaPJVEDGMGS  
1 FC Porto 6 2 2 0 0 4 1 Jogos
2 Académica 6 3 2 0 1 3 3 Jogos
3 Beira-Mar 5 3 1 2 0 3 0 Subiu 6 posições Jogos
4 Olhanense 5 3 1 2 0 4 3 Subiu 3 posições Jogos
5 Benfica 4 2 1 1 0 5 3 Desceu 2 posições Jogos
6 SC Braga 4 2 1 1 0 2 0 Desceu 2 posições Jogos
7 V. Setúbal 4 2 1 1 0 4 3 Desceu 2 posições Jogos
8 Gil Vicente 4 3 1 1 1 5 5 Subiu 4 posições Jogos
9 P. Ferreira 4 3 1 1 1 3 3 Desceu 3 posições Jogos
10 Marítimo 4 3 1 1 1 3 4 Subiu 4 posições Jogos
11 Sporting 2 3 0 2 1 3 4 Desceu 3 posições Jogos
12 Feirense 2 3 0 2 1 1 3 Subiu 1 posições Jogos
13 Nacional 1 1 0 1 0 0 0 Desceu 3 posições Jogos
14 Rio Ave 1 3 0 1 2 0 2 Desceu 3 posições Jogos
15 U. Leiria 0 2 0 0 2 2 4 Subiu 1 posições Jogos
16 V. Guimarães 0 2 0 0 2 0 4 Desceu 1 posições Jogos
publicado por carlitos às 23:40

Sexta-feira, 26 de Agosto, 2011

Liga Europa: Braga começa em Birmingham e termina na Bélgica


 

 O Sp. Braga começa a participação na fase de grupos da Liga Europa em Birmingham, com uma deslocação a St. Andrews, no dia 15 de Setembro, e termina-a na Bélgica, em Brugge, a 15, mas de Dezembro.

 No dia 29 de Setembro, na 2ª jornada, os bracarenses recebem o Brugge no Estádio AXA e no dia 20 de outubro desloca-se ao terreno do Maribor.

 A 4ª jornada da fase de grupos tem um SC Braga x Maribor, a 3 de Novembro, enquanto no dia 30 de Novembro se joga o SC Braga x Birmingham.

 Os minhotos terminam a fase de grupos em Brugge, a 15 de Dezembro.

 

CALENDÁRIO DOS JOGOS DO GRUPO H

 

BRAGA COMEÇA E ACABA FORA DE CASA
É o seguinte o escalonamento dos jogos do Grupo H em que o SCBraga está inserido:
Birmingham - Braga (15/9) ;

Braga - Brugge (29/9)
Maribor - Braga (20/10)
Braga - Maribor (3/11);

Braga - Birminghan (30/11)
Brugge - Braga (15/12)

 

História frente aos belgas

Nunca os minhotos se cruzaram com o Club Brugge, sendo o Standard Liège o único conhecido do SC Braga no que a clubes belgas diz respeito.

Ainda assim, a equipa arsenalista apenas defrontou por duas ocasiões o Standard, que tem Sérgio Conceição como director-desportivo, nos 16-avos-de-final da Liga Europa de 2008/09.

O SC Braga venceu no AXA por 3x0 e depois empatou em casa do Standard Liège a uma bola. O Brugge já não é campeão na Bélgica há seis anos, a última vez foi em 2005.

Na Liga Europa este emblema eliminou, no play-off de acesso a esta fase-de-grupos, o modesto Zestafoni, da Geórgia, com 5x3 no somatório das duas mãos.

Birmingham é desconhecido, ingleses não

O SC Braga nunca defrontou o Birmingham em confrontos oficiais, apesar de possuir um histórico cheio frente a adversários ingleses. O Birmingham foi, aliás, o responsável pela eliminação do Nacional, ontem, da segunda prova de clubes mais importante da UEFA.

Os bracarenses somam sete derrotas em 15 jogos efectuados, com apenas três vitórias.

Contudo, se os números na generalidade são adversos, olhando ao passado recente percebe-se que apenas por uma vez nas últimas seis partidas com britânicos o SC Braga perdeu, destacando-se três triunfos nos últimos cinco jogos.

Eslovenos: adversários inéditos

O SC Braga nunca defrontou o Maribor nem qualquer emblema da Eslovénia. Campeão esloveno e finalista vencido na Supertaça do seu país, o Maribor está na fase-de-grupos da Liga Europa depois de ter eliminado os escoceses do Rangers no play-off.

O emblema esloveno iniciou a época europeia 2010/11 na Liga dos Campeões, ultrapassou o Dudelange do Luxemburgo na segunda pré-eliminatória mas acabou por cair aos pés do Maccabi Haifa na terceira pré-eliminatória, acabando por entrar no play-off da Liga Europa.

Na liga eslovena o Maribor lidera a tabela com 16 pontos em seis jogos, não tendo ainda perdido qualquer jogo.

O primeiro jogo da fase-de-grupos está agendado para o dia 15 de Setembro

 
    

 BIRMINGHAM (ING)  http://www.bcfc.com
Fundação1875
EstádioSt. Andrews (30 mil)
Ranking da UEFA:104º
Treinador: Chris Hughton
Como chegou aqui: Venceu a Taça da Liga em 2011, batendo o Arsenal na final (2-1). Afastou o Nacional no Play-off (0-0 e 3-0).
Principais figurasCarr, Caldwell, Beausejour, Redmond, Zigic
Apresentação Despromovido ao escalão secundário no final da época passada, O Birmingham tem sofrido no arranque do Championship: duas derrotas nas três primeiras jornadas deixam-no muito longe dos lugares de topo. A afirmação do jovem Redmond, muito influente frente ao Nacional, compensa o eclipse de Zigic, afectado por lesões, e com uma transferência em aberto.

  

CLUB BRUGGE (BEL)  http://www.clubbrugge.be/
Fundação 1891
Estádio Jan Breydel Stadium (29 mil)
Ranking da UEFA:60º
Treinador Adrie Koster
Como chegou aqui 4º classificado na Liga belga em 2011/12. Afastou os azeris do Qarabaq (4-1 e 0-1) e os georgianos do Zestafoni (3-3 e 2-0) para chegar à fase de grupos.
Principais figuras: Hofkens, Donk, Dirar, Odjidja-Ofoe, Akpala, Vazquez,
Apresentação Distante dos gloriosos anos 70, em que chegou por duas vezes a finais europeias, o Brugge ainda detém o recorde para o maior número de presenças consecutivas na Taça UEFA (14). Nos últimos anos, tem vivido na sombra dos históricos Anderlecht e Standard, e de novas potências como o Genk: o último título data de 2005, e a última vitória na Taça de 2007. Ainda assim, a época está a começar bem: ocupa o segundo lugar na Liga, a um ponto do líder Malines, com duas vitórias e dois empates em quatro jogos.

    

MARIBOR (ESL)  http://www.nkmaribor.com/
Fundação 1960
Estádio Ljudiski (13 mil)
Ranking da UEFA:227º
Treinador Darko Milanic
Como chegou aqui Campeão da Eslovénia, foi afastado da Liga dos Campeões pelo Maccabi Haifa (1-2 e 1-1). Mas no Play-off da Liga Europa deixou o histórico Rangers pelo caminho (2-1 e 1-1).
Principais figuras Handanovic, Trajkoviski, Mezga, Abraimi, Beric, Velikonja
Apresentação Crónico campeão da Eslovénia até 2002 (sete títulos consecutivos) perdeu o estatuto de primeira equipa do pequeno país balcânico para o Gorica em meados da década passada. Recuperou a coroa com dois títulos nas últimas três épocas. O actual director desportivo é Zlatko Zahovic, figura bem conhecida dos portugueses. A equipa já lidera folgadamente o campeonato, com cinco vitórias em seis jornadas e cinco pontos de vantagem sobre o segundo.

 

 

publicado por carlitos às 22:21

 

Uma vida em dois dias

 

Carlos Alberto Rodrigues

 

 Carlitos sempre se sentiu um privilegiado e por isso orgulhoso de ter nascido e crescido enquanto criança e grande parte da sua adolescência num dos locais mais aprazíveis do país e que teve a bênção dos Deuses quando criaram o Gerês e toda a sua região envolvente.
 No seu caso, as faldas daquela serra serpenteada pelo rio Cávado cujas águas formam um belo espelho na Caniçada e que depois de a “abandonar” continua sua aventura num vale encravado entre duas vertentes montanhosas que servem de miradouros privilegiados sobre o casario tão típico daquela região e cujas águas refrescam as suas margens dando um toque idílico apenas ao alcance de pinceladas de grandes mestres da pintura.

 Mas a casa onde Carlitos nascera, apesar de não ser tão velha como alguns exemplos centenários ou de Brasão, não deixava de ser um simples mas talvez por isso, belo e aconche-gante casario carregado de granito onde se realçavam as janelas em madeira maciça onde sobre uma das quais se encontrava a inscrição ‘Maio de 1935’. Aliás, duas janelas ficavam estrategicamente frontais para a barragem que se via lá no fundo do quadro inspirador mas ao mesmo tempo sobranceiras ao casario que era avistado lá em baixo na aldeia e uma outra ‘aldeiazinha’ caiada de branco e que ficava numa pequena colina acima do rio, que é o sítio onde sabe ter os seus entes mais queridos que já tomaram A VIAGEM.

 Os avós e padrinhos, tios, e primos, sempre sabe onde os encontrar para trocar dois dedos de conversa sempre que quer ou precisa. Encontrava-se à sombra de um frondoso pomar onde se colhiam as melhores laranjas, pêssegos e ameixas, além de outras árvores de fruto, mas também roseiras bravas que ladeavam o caminho para um pequeno lago estrategicamente colocado ao centro, cercado de japoneiras e canteiros onde se podiam encontrar ervas medicinais e outras silvestres. Em conjunto, formavam um quadro digno de Monet.

 De realçar ainda as heras que cobriam grande espaço da parte inferior do prédio que era ocupada por duas divisões: uma chamada de ‘loja’ onde, pelo seu ar fresco, se guardavam enormes pipas de vinho tão apreciado na região e outra, mais pequena, que servia para guardar durante meses, numa espécie de celeiro, cereais e presunto e outras carnes numa arca a que chamavam ‘salgadeira’ pois podia-se guardar durante longos meses envolvidas em sal as mais variadas carnes.

 Esta mesma moradia se olhassemos um pouco mais para cima, em direcção aos céus e quase tocando-lhes podíamos avistar o resto da ilídica paisagem carregada de verde fresco: O Monte da Abadia de Bouro ou o Monte de Santa Isabel, um dos locais mais procurados no turismo local ou lá mais abaixo, quase no fundo deste quadro naturalista as Serras da Cabreira e do Gerês e daí descendo em direcção às pontes de rio Caldo. É o núcleo. Dali se vê tudo à volta sem pestanejar apenas soltar uns ais de espanto tamanha é a beleza.

 Recordava-me das suas idas ao monte em busca de mato, entretanto roçado, para ver e ajudar nas lides dos homens adultos e que seria transportado em carros puxados a juntas de bois e cujos eixos “choravam” pelo peso sobre as grandes pedras da calçada daqueles tempos. Rituais tão bem contados que eu imaginava o meu amigo um sortudo por puder acordar ao som do chilrear dos pássaros, do pequeno-almoço, que tem um sabor diferente e único na aldeia, das correrias por entre veredas e os verdes campos na companhia das irmãs, primos e amigos, numa ciranda de alegria contagiante.

 O brilhar dos olhos nas lides domésticas, quando suas avós preparavam o farnel para alimentar os Homens que trabalhavam àrduamente a terra, que vindimavam ou ainda roçavam mato numa alegre algazarra onde se contavam as novas da aldeia enquanto esperavam para saciar a fome e a sede. Normalmente o cardápio era constituído por peixe frito envolvido em farinha de milho e que lhes dava um sabor especial, bacalhau frito ou presunto com broa de milho e o vinho para refrescar suas sedentas gargantas.

 Mas o melhor é que eles podiam se juntar no banquete aos “homens adultos” e enquanto ouviam estórias que ainda hoje se recorda com saudade, mui-tas eram as vezes em que, qual avô ou ‘padrinho’ subia as escadas que o levava até ao cimo das videiras e colhia com todo o cuidado os cachos de uvas que depois seriam transportados no mesmo carro de bois num belo ritual que terminaria no lagar para serem pisadas pelos seus pés entre cantares brejeiros e honras ao Deus Baco.

 Costumava-me segredar que apenas quem nascera saloio (e não era no aspecto pejorativo da palavra) quem conhecia verdadeiramente os aromas e estados do campo, é que sabia verdadeiramente o valor da convivência com a natureza e o valor que se devia dar por isso.
 Naquela aldeiazinha criou as melhores amizades, do tipo que ficam para sempre dentro do nosso espírito e que são testemunhas dos melhores momentos de nossas vidas. Neste aspecto Bilito é o melhor exemplo do que acabámos de escrever.

 Por coincidência tinham nascido no mesmo dia no mesmo mês e no mesmo ano! Talvez também por causa disso tenham alimentado durante anos e anos uma amizade de
“meter inveja” aos melhores companheiros de jornada. E tal como a maior amizade
também lá encontrou o seu primeiro amor, nos campos ceifados, entre o feno e os milheirais, sempre nos Verões de sua vida, nas águas refrescantes que tão bem conhecia. Morava a escassos metros da casa que o viu nascer e crescer, lentamente, para a vida e cruzava-se com ela todos os dias. Tinha ‘a seu favor’ o facto de ser irmã de Bilito, seu braço direito nas brincadeiras do dia a dia e a quem ia segredando o seu interesse em querer partilhar as alegrias com figura tão altiva e bela.

 Bela, assim era ela e assim era seu nome, ou melhor, como era chamada. Nunca ninguém antes fizera jus a seu nome. Claro que também nesta área eu tivera conhecimento. Contou-me que a primeira vez que se viram, meio envergonhados, ficaram parados a olharem-se mutuamente e com um jeito malandro lá começou a descrevê-la ali mesmo naquele instante. Claro que ela ficou estupefacta por, em tão poucos minutos, ter ficado a saber da existência de adjectivos tão bonitos e sonantes e que ainda por cima lhe eram dirigidos. Demais!

 Descrevê-la era, por isso, um enorme prazer: a sua graça o seu modo de sorrir e de falar centravam-lhe todas as atenções. Que melodia eram suas palavras! Vindas duma boca perfeita e as formas de seus lábios numa face arredondada e rosada, cujos cabelos de ouro realçavam a alvura de sua pele. Bela! Deus quando a criou estava deveras inspirado pois os anos vindouros fizeram dela uma bela mulher que um dia fez disparar seu coração do mesmo modo que também ele sabe de sua importância nos primeiros momentos de fazer aquecer o coração dela. Tal é a certeza desse pensamento que bem recentemente fui conhecedor duma conversa onde ela, mulher casada e mãe de filhos, lhe disse sem pudores que ele tivera sido seu cavaleiro andante que jamais havia esquecido aquelas palavras carregadas de significado e de... adjectivos.

 Afiançou-lhe uma cena que ele não se recordava: hoje lembra-se dele como o menino com o mesmo no-me no filme de Manoel de Oliveira ‘Aniki Bobo’. Carlitos andava sempre de calções curtos e descalço pois gostava de sentir as “impressões daquilo que pisava” Acreditem que nem o mato lhe metia medo. Arranjava sempre maneira de lhe fugir. E ele sorriu a es-ta descrição e confissão e apenas soube dizer sem som vindo de seus lábios: Obrigado! Ou daquela vez em que ouvira suas chanquitas a “cantarem” sobre as pedras da calçada, anunciando mais um regresso à aldeia, enquanto ela esperava, ansiosa, por mais uma caminhada aproveitada para pôr as novidades em dia. Dias inocentes mas que irradiavam alegria todos os segundos, minutos e horas.

 Nesse tempo não havia Verão (mais tarde, nas férias grandes da escola), Carnaval ou Natal que não recebesse sua visita para festejar junto de seus familiares e amigos. Então, em relação à festa natalícia era sinal de mais um ano que terminava e urgia celebrar cada ocasião como se fosse a última. Na infância, Dezembro era o mês mágico. Da magia vinda dos presépios que se criava com todo o cuidado com as figuras bíblicas colocadas estrategicamente sobre o musgo que tinha sido colhido do monte às postas e do pinheirinho que assinalava a luz do nascimento e que emprestava à casa um aroma a pinho que ficou para sempre na sua memória.

 Dezembro era a sua libertação. Sonhava o ano inteiro com o dia em que ia ao monte que ficava logo ali bem pertinho de casa de seus avós e de lá trazia a magia carregada ao colo. Eram outros os tempos. Tempos que passavam devagar para que as deliciassem de cada momento porque seriam únicos e porque afinal eram tempos de infância. Um tempo tão pequeno quanto nós.
 Certamente, por isso mesmo, o que mais saudades traz nesta época de final de ano. Depois seria tempo de crescer e de deixar as magias para trás.

 Ou como escreve o Carlos Tê na música do Rui Veloso “É triste ser-se crescido e não ter mais redea solta...” o que triste é ter de trocar os calções pelo colarinho apertado, ter cartão de identidade já com outro penteado. É́ tudo verdade sim senhor. É com estas músicas que vamos crescendo e dando sentido à nossa vida. Hoje tudo é diferente. Desapareceram as pessoas que mais amamos por que envelheceram e pereceram, as mesmas que nos sorriam a cada chegada do mês de Dezembro, para passar o Natal e Fim de Ano. Pais, avós, tios, primos pessoas que ajudaram a construir esses sonhos e que recordava com saudade a cada ano que passa.

 Sempre agradeceu ter seus pais para lhe ajudarem a lembrar alguns cantinhos esquecidos dessa meninice feita com musgo e pinheiros, com rabanadas e aletria. Com foguetes feitos de canas de milho ou ainda daquela lareira que estava sempre acesa para lhes aquecer a alma depois de uma jornada ao frio cortante dos montes que ficavam nas faldas do Gerês.

 Apesar de tudo ser diferente, hoje sente alegria porque afinal sempre podia sonhar que dali o mundo até parecia um lugar feliz onde era bom viver. Por isso, às vezes lembro que o Carlos Tê continua a ter razão: É triste ser res-ponsável, guardar horas na cabeça, ter tantas obrigações, que fazem andar depressa; Ai como é bom recordar, esse tempo de criança; Às vezes queria parar; Crescer muito também cansa.

 

 

sinto-me: saudade
música: happy days
publicado por carlitos às 17:40

                                        A VIDA EM DOIS DIAS

 

Viva caros amigos leitores.

Neste tempo estival que convida á praia ao sol e coisas outras que sejam do agrado de cada um, convido-os PELA SEGUNDA VEZ! a clicar neste link

http://www.correiodominho.pt/cronicas.php?id=3040, fazer o download dessa edição do jornal correio do minho e na rubica conta o leitor poderem ler um conto de minha autoria com o título "A VIDA EM DOIS DIAS", que depois colocarei em versão post.

Para todos continuação de um bom Verão! 

publicado por carlitos às 17:18

Sporting de Braga e Sporting revelaram-se hoje satisfeitos com o sorteio da fase de grupos da Liga Europa de futebol, mas avisam que só com “respeito” podem ambicionar chegar mais longe na prova.

 

 

“Fomos muito felizes no sorteio e viagens. Com um futebol competitivo como o nosso, fazer viagens muito longas, como poderia ter acontecido, não é muito bom. O sorteio foi favorável e temos de nos assumir um bocadinho como candidatos a passar este grupo devido ao sorteio e à campanha que temos feito”, resumiu Fernando Couto, diretor dos ‘arsenalistas’.

O Sporting de Braga, finalista da última edição, vai defrontar Club Brugge (Bélgica), Birmingham (Inglaterra) e Maribor (Eslovénia) no Grupo H da fase de grupos da Liga Europa: “Ainda assim, este é um grupo equilibrado e é necessário tê-lo em conta”.

 

Já o Sporting vai encontrar a Lazio (Itália), Zurique (Suíça) e FC Vaslui (Roménia) no Grupo D, sendo que só por uma vez em 14 jogos os “leões” conseguiram vencer uma equipa italiana.

 

“Obviamente que a Lazio é a equipa mais conhecida. Podemos ter dificuldades, mas temos de respeitar os três adversários da mesma forma. Com máximo respeito e determinação conseguiremos ir o mais longe possível”, frisou Beto.

 

O representante do Sporting no sorteio do Mónaco deixou um aviso: “Estávamos no pote 1 como favoritos, mas agora temos de o provar dentro de campo, pois de nome é muito subjetivo. Acho que, acima de tudo, a equipa tem de estar o máximo concentrada e empenhada, senão será extremamente difícil não só a Lazio, mas também as outras equipas”.

 

O Sporting de Braga, finalista da última edição, vai defrontar Club Brugge (Bélgica), Birmingham (Inglaterra) e Maribor (Eslovénia) no Grupo H da fase de grupos da Liga Europa: “Ainda assim, este é um grupo equilibrado e é necessário tê-lo em conta”.

 

O SC Braga integra o grupo H da Liga Europa e vai medir forças com o Club Brugge, com o Maribor e com o Birmingham, que eliminou o Nacional no play-off de acesso a esta fase da prova.

 

 

História frente aos belgas

Nunca os minhotos se cruzaram com o Club Brugge, sendo o Standard Liège o único conhecido do SC Braga no que a clubes belgas diz respeito.

Ainda assim, a equipa arsenalista apenas defrontou por duas ocasiões o Standard, que tem Sérgio Conceição como director-desportivo, nos 16-avos-de-final da Liga Europa de 2008/09.

O SC Braga venceu no AXA por 3x0 e depois empatou em casa do Standard Liège a uma bola. O Brugge já não é campeão na Bélgica há seis anos, a última vez foi em 2005.

 

Na Liga Europa este emblema eliminou, no play-off de acesso a esta fase-de-grupos, o modesto Zestafoni, da Geórgia, com 5x3 no somatório das duas mãos.

 

Birmingham é desconhecido, ingleses não

O SC Braga nunca defrontou o Birmingham em confrontos oficiais, apesar de possuir um histórico cheio frente a adversários ingleses. O Birmingham foi, aliás, o responsável pela eliminação do Nacional, ontem, da segunda prova de clubes mais importante da UEFA.

Os bracarenses somam sete derrotas em 15 jogos efectuados, com apenas três vitórias.

Contudo, se os números na generalidade são adversos, olhando ao passado recente percebe-se que apenas por uma vez nas últimas seis partidas com britânicos o SC Braga perdeu, destacando-se três triunfos nos últimos cinco jogos.

 

Eslovenos: adversários inéditos

O SC Braga nunca defrontou o Maribor nem qualquer emblema da Eslovénia. Campeão esloveno e finalista vencido na Supertaça do seu país, o Maribor está na fase-de-grupos da Liga Europa depois de ter eliminado os escoceses do Rangers no play-off.

O emblema esloveno iniciou a época europeia 2010/11 na Liga dos Campeões, ultrapassou o Dudelange do Luxemburgo na segunda pré-eliminatória mas acabou por cair aos pés do Maccabi Haifa na terceira pré-eliminatória, acabando por entrar no play-off da Liga Europa.

 

Na liga eslovena o Maribor lidera a tabela com 16 pontos em seis jogos, não tendo ainda perdido qualquer jogo.

O primeiro jogo da fase-de-grupos está agendado para o dia 15 de Setembro. 

 

Constituição dos Grupos:

- Grupo A:

Tottenham

PAOK

Shamrock

Rubin

 

- Grupo B:

Hannover

Kobenhavn

Standard

Vorskla

 

- Grupo C:

PSV

Rapid

Hapoel Tel Aviv

Legia Warszawa

 

- Grupo D:

Sporting

Lazio

Zürich

Vaslui

 

- Grupo E:

Dynamo Kyiv

Besiktas

Maccabi Tel Aviv

Stoke City

 

- Grupo F:

Athletic Bilbao

PSG

SV Salzburg

Slovan Bratislava

 

- Grupo G:

Austria Wien

Malmo

AZ

Metalist

 

- Grupo H:

Sp. Braga

Birmingham

Club Brugge

Maribor

 

- Grupo I:

Atlético Madrid

Udinese

Rennes

Sion

 

- Grupo J:

Schalke 04

Maccabi Haifa

Steaua

AEK Larnaca

 

- Grupo K:

Fulham

Wisla Kraków

Odense

FC Twente

 

- Grupo L:

Anderlecht

Lokomotiv

AEK

Sturm Graz

 

Noutro aspecto

 

Fran Mérida pode chegar a Braga por troca com Pizzi
SC Braga, At. Madrid

 

Fernando Couto deixou esta sexta-feira no ar a possibilidade de Fran Mérida, médio do At. Madrid, rumar ao SC Braga, por troca com Pizzi, há muito apontado ao clube da capital espanhola. Uma coisa é certa: «O mercado está aberto até dia 31.»

 «Temos isso em conta tanto para vender como para comprar. Estamos contentes com o que temos, as coisas têm estado a correr bem, por isso vamos ver. Há essa possibilidade e o Fran Mérida é um jogador interessante. O Pizzi também é um jogador interessante para as outras equipas, e para o Sp. Braga, claro.»

 

publicado por carlitos às 16:50

Quinta-feira, 25 de Agosto, 2011

 

O finalista vencido da última edição da Liga Europa sofreu mas está apurado para a fase de grupos da Liga Europa, após empatar com o Young Boys a duas bolas, valendo os dois golos marcados fora de casa, depois de um empate a zero na primeira-mão.

 Na Suíça, debaixo de chuva intensa, a equipa de Leonardo Jardim, ao contrário do que aconteceu em Braga, entrou bem na partida. Aproveitando a velocidade de Hélder Barbosa, que foi uma das surpresas no 11 inicial, a formação portuguesa mostrava que estava disposta a marcar cedo.

As más notícias chegam sempre depressa. Demasiado depressa, reza a sabedoria popular. Aqui invertemos a lógica e começamos pelas boas. O Sp. Braga empatou em Berna, qualificou-se para a Fase de Grupos da Liga Europa e Hélder Barbosa apontou um golo absolutamente genial. No fim, depois de muito sofrimento, Lima fez o 1-2 num lance de puro contra-ataque, antes do Young Boys voltar a empatar: 2-2.
E pronto. É isto. Não há muito mais por onde pegar na exibição do Sp. Braga. Suficiente, é verdade, mas pobre. Paupérrima em determinados momentos do jogo. O vice-campeão da Liga Europa, é bom recordar, está em pleno período de estabilização e tem muito, mas mesmo muito, por onde evoluir.
Em Berna, num relvado sintético encharcado, ficaram várias limitações à vista. Perante uma equipa corajosa mas limitada, o Sp. Braga não mostrou qualidade na posse de bola, raramente incomodou o guarda-redes contrário e sofreu dois golos em lances de bola parada.
Pior do que isso, quando a eliminatória parecia controlada e praticamente ganha, uma espécie de histeria colectiva apoderou-se da equipa. Intranquilidade, nervos à flor da pele, acções descabidas nas transições ofensivas e uma irritante tendência para complicar o que parecia simples.
O essencial foi alcançado, insista-se, e isso merece aplausos. Agora, a forma como o Sp. Braga empatou a dois golos na casa deste débil Young Boys é que já justifica ampla reflexão. Leonardo Jardim apelidara este de «jogo mais importante da época». Alguns jogadores não interiorizaram a mensagem.
Hélder Barbosa, uma obra-prima
Lima foi titular, Pizzi nem no banco esteve e o Atl. Madrid será o seu próximo clube. Hélder Barbosa, a grande surpresa na equipa inicial, resgatou a noite da mediocridade num instante de inspiração divina. Bola de calcanhar para a zona central e remate em arco, com o pé direito, ao ângulo superior esquerdo da baliza helvética.
O esquerdino saiu com nota positiva aos 60 minutos. Nem todos podem dizer o mesmo. Os laterais Baiano e Elderson foram inofensivos (mais o nigeriano), os centrais estiveram globalmente bem (excepção feita ao primeiro golo do Young Boys), Djamal é um médio de combate e pouco mais.
Hugo Viana precisa de correr mais quilómetros até estar bem, Leandro Salino andou sempre escondido do jogo. Alan alternou as boas acções com alguns comportamentos incompreensíveis para um jogador experiente e Lima apenas nos últimos 15 minutos mostrou o que pode, realmente jogar.
Uma palavra especial para o jovem Guilherme. Entrou e criou o segundo golo da equipa. Nuno Gomes não saiu do banco. O Sp. Braga qualifica-se sem ter ganho nenhum dos jogos ao Young Boys.
 
 
«Estivemos mais perto do terceiro golo» - Leonardo Jardim

Leonardo Jardim estava satisfeito no final de uma partida que o próprio assumiu ter sido muito emotiva.

O Young Boys foi um adversário persistente, mas para o treinador o Braga acabou por ser superior:
- Foi um jogo com algum sofrimento à mistura, sobretudo naquela fase em que estávamos a dominar e o adversário conseguiu num livre frontal empatar o jogo e conferir emoção à partida. Mas mesmo nesse período estivemos mais perto de fazer o terceiro golo, através de boas transições.

O madeirense explicou a razão pela qual deixou Nuno Gomes no banco para abrir vaga no onze à entrada de Hélder Barbosa:
- Foi uma questão estratégica. Tinha dito que o Braga ia fazer golos na Suíça. Sabíamos que quando o Young Boys joga ofensivamente deixa espaço para o contra-ataque do adversário. Aproveitamos a velocidade do Hélder e Lima para ganhar estes espaços nas costas do adversário e conseguir o primeiro golo.

O Braga está na fase de grupos da Liga Europa mas para Leonardo Jardim a época não se esgota aqui:
- Pessoalmente, se existe alguém que coloca pressão sobre o meu trabalho, sou eu mesmo. É uma vitória importantíssima, passámos à fase de grupos e esse era o objectivo. Fico feliz pelo apoio incansável, aqui e em Braga, dos nossos adeptos, eles têm estado presentes. Sabem que esta é uma equipa nova e que a atitude dos jogadores tem sido exemplar.Mas agora temos de nos focar no campeonato. Temos um jogo difícil com o V. Setúbal, mas queremos continuar a estar fortes e a ganhar pontos para estar nos lugares que pretendemos.

Data: 25/08/2011
Estádio: da Suica, em Berna
Jornada: Play-off (2ª mão)
Árbitro: Ivan Bebek (Croacia)
Auxiliares: Tomislav Petrovic e Miro Grgic
4º árbitro:
4x4x2 4x3x3
N.º Nome
1 Woelfli -
13 Elsad Zverotic -
22 Dusan Veskovac -
20 François Affolter -
17 Christoph Spycher -
24 Emmanuel Mayuka -
8 Alexander Farnerud -
6 Michael Silberbauer -
16 Mario Raimondi -
11 Ben Khalifa -
15 Henri Bienvenu -
N.º Nome
12 Quim -
15 Wanderson Baiano -
26 Paulo Vinicius -
5 Ewerton -
20 Elderson Echiejile -
25 Leandro Salino -
22 Djamal -
45 Hugo Viana -
30 Alan -
18 Lima -
10 Hélder Barbosa -
Suplentes
27 Ivan Benito -
7 Scott Sutter -
33 Jan Lecjaks -
21 David Degen -
29 Raphael Nuzzolo -
30 Pascal Doubai -
9 Marco Schneuwly -
Treinador:
32 Berni -
4 Nuno André Coelho -
40 Guilherme -
8 Márcio Mossoró -
6 Vinicius -
19 Meyong -
21 Nuno Gomes -
Treinador:
Substituições
46' Mario Raimondi Raphael Nuzzolo
58' Henri Bienvenu David Degen
84' Dusan Veskovac Pascal Doubai
60' Hélder Barbosa Guilherme
76' Hugo Viana Márcio Mossoró
85' Leandro Salino Vinicius
Disciplina
61' Ben Khalifa
78' Woelfli
90' David Degen
36' Hugo Viana
60' Hélder Barbosa
67' Guilherme
71' Quim
73' Alan
Golos
Ao intervalo: 0 - 1
0 - 1 24' Hélder Barbosa
1 - 0 61' Emmanuel Mayuka
0 - 1 77' Lima
1 - 0 81' Alexander Farnerud
Ao minuto
90' FINAL DO JOGO! Young Boys - 2 Sp. Braga - 2. Qualificação sofrida e sem ponta de brilho por parte do vice-campeão da Liga Europa. Momento brilhante de Hélder Barbosa no golo inaugural.
90' CARTÃO AMARELO para David Degen (Young Boys )
90' GRANDE DISPARO DE LIMA! Defesa extraordinária do guarda-redes.
90' Cinco minutos de descontos.
86' Quim amarra bem um livre na esquerda do Young Boys.
85' SUBSTITUIÇÃO Sp. Braga . Sai Leandro Salino entra Vinicius
84' SUBSTITUIÇÃO Young Boys . Sai Dusan Veskovac entra Pascal Doubai
81' GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! YOUNG BOYS ! 2-2 por Alexander Farnerud. Mal batido neste livre o guarda-redes Quim. E volta a pairar a incerteza.
78' CARTÃO AMARELO para Woelfli (Young Boys )
77' GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! SP. BRAGA ! 1-2 por Lima! Finalmente um bom contra-ataque! Guilherme serve Lima e o brasileiro finaliza com categoria!
76' SUBSTITUIÇÃO Sp. Braga . Sai Hugo Viana entra Márcio Mossoró
73' CARTÃO AMARELO para Alan (Sp. Braga )
73' Muito mal Lima! Má decisão do brasileiro num lance de contra-ataque. Assim não.
71' CARTÃO AMARELO para Quim (Sp. Braga ), por perder tempo.
69' Bom lance de Guilherme na esquerda! Alan fica perto de chegar à bola.
67' CARTÃO AMARELO para Guilherme (Sp. Braga )
66' DAVID DEGEN ASSUSTA! O avançado do Young Boys dribla para o meio e remata contra Paulo Vinícius!
63' A sinaléctica do árbitro parecia querer dizer que o golo tinha sido anulado, mas não. O juiz expulsou o jogador do Young Boys depois deste ter agredido Quim, logo a seguir ao golo.
61' CARTÃO VERMELHO para Ben Khalifa (Young Boys ) por agressão a Quim.
61' Quim está deitado no relvado, lesionado.
61' GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! YOUNG BOYS ! 1-1 por Emmanuel Mayuka. Livre na direita e cabeceamento do jogador do Young Boys!
60' CARTÃO AMARELO para Hélder Barbosa (Sp. Braga )
60' SUBSTITUIÇÃO Sp. Braga . Sai Hélder Barbosa entra Guilherme
58' SUBSTITUIÇÃO Young Boys . Sai Henri Bienvenu entra David Degen
57' Duas boas oportunidades do Sp. Braga! Bom remate de Lima e depois outro de Alan.
55' Cruzamento de Spycher e corte de Paulo Vinícius!
54' Hugo Viana contorce-se com dores no chão.
52' Djamal faz um corte defeituoso, mas a bola morre nas mãos de Quim. E chove ainda mais!
50' O Young Boys arrisca mais agora. O Sp. Braga defende bem nesta fase inicial.
46' SUBSTITUIÇÃO Young Boys . Sai Mario Raimondi entra Raphael Nuzzolo
46' RECOMEÇA A PARTIDA
45' INTERVALO NA PARTIDA ENTRE Young Boys e Sp. Braga. Jogo muito bem controlado pelos minhotos e um golo absolutamente brilhante de Hélder Barbosa! O Young Boys tem de fazer dois golos se quiser passar.
45' Um minuto de descontos.
42' O jogo está à feição do Sp. Braga. O golo de Hélder Barbosa coloca os minhotos em vantagem na eliminatória.
39' Cruzamento perigoso de Baiano!! Só faltou que Lima chegasse à bola!
37' Livre de Hugo Viana contra um defesa suíço!
36' CARTÃO AMARELO para Hugo Viana (Sp. Braga )
35' O Sp. Braga controla bem a partida nesta altura. Muito bem os minhotos.
31' Zverotic ao lado! O Young Boys está a deixar boa imagem.
30' Cruzamento de Mayuka e ninguém aparece para finalizar. Ainda bem para o Sp. Braga!
29' Muito bem Lima! O avançado obriga o guarda-redes do Young Boys a uma boa defesa!
24' GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! SP. BRAGA ! 0-1 por Hélder Barbosa. MAGIA PURAAA! Que grande golo do esquerdino! Hélder Barbosa puxa de calcanhar a bola para o meio e remate de pé direito, o seu pior, em arco. Bola ao ângulo superior esquerdo da baliza helvética!!!
20' O árbitro perdoa um cartão amarelo a um defesa do Young Boys. Derrube duro sobre Lima.
17' Corte de Elderson Echiejile com a cabeça. O Young Boys está a crescer.
16' Muito bem Quim, a agarrar a bola. Mayuka tentava solicitar Bienvenu.
15' O relvado parece encharcado em algumas zonas. O jogo está mais confuso nesta altura.
10' O guarda-redes do Young Boys passa por trabalhos depois de um lance acrobático. Parece bem o Sp. Braga!
7' Já chove em Berna, apesar das temperaturas altas.
6' BOLA TRAIÇOEIRA! Remate de um jogador do Young Boys, ressalto em Mayuka e Quim obrigado a defesa atenta!
2' Hélder Barbosa de cabeça por cima!! Boa entrada do Sp. Braga.
1' COMEÇA A PARTIDA ENTRE Young Boys e Sp. Braga
0' As equipas já estão no relvado. Belo ambiente nas bancadas. O Young Boys joga de camisola amarela, calções pretos e meias amarelas. O Sp. Braga joga com o equipamento habitual.
0' Leonardo Jardim surpreende com a aposta em Hélder Barbosa. Márcio Mossoró e Nuno Gomes, candidatos mais fortes à titularidade, ficam no banco.
0' As equipas já aquecem no relvado sintético de Berna.
0' Lima é titular, Pizzi nem no banco está. O jovem português vai mesmo ser reforço do Atl. Madrid.
0' SP. BRAGA: Quim; Baiano, Paulo Vinícius, Ewerton e Elderson; Djamal, Leandro Salino e Hugo Viana; Alan, Lima e Hélder Barbosa. Suplentes: Tommaso Berni, Nuno André Coelho, Vinícius, Márcio Mossoró, Meyong, Nuno Gomes e Guilherme.
0' YOUNG BOYS: Wolfli; Zverotic, Veskovac, Affolter e Spycher; Mayuka, Farnerud, Silberbauer e Raimondi; Ben Khalifa e Bienvenu. Suplentes: Ivan Benito, Scott Sutter, Schneuwly, Degen, Nuzzolo, Doubai e Lecjaks.
0' JÁ HÁ EQUIPAS OFICIAIS!
0' A equipa provável do Sp. Braga será esta: Quim; Baiano, Paulo Vinícius, Ewerton e Elderson; Djamal, Leandro Salino e Hugo Viana; Alan, Nuno Gomes e Márcio Mossoró.
0' O jogo será disputado num relvado sintético.
0' Lima e Pizzi estão nos convocados e mais perto de ficar no Sp. Braga depois do 31 de Agosto. Besiktas e Atl. Madrid continuam interessados, mas os negócios estão difíceis.
0' O Sp. Braga é o actual vice-campeão da Liga Europa e está 70 lugares acima do Young Boys no ranking da UEFA. Toda a pressão recai sobre os portugueses.
0' Leonardo Jardim, técnico dos minhotos, considerou este «o jogo da época». E está tudo dito relativamente à importância da partida para o Sp. Braga.
0' Na primeira-mão, o Sp. Braga cedeu um empate a zero bolas diante do Young Boys. Um resultado a corrigir já hoje.
Os jogos segunda mão do play-off de acesso à fase de grupos da Liga Europa realizam-se esta quinta-feira. Confira o programa e os resultados dos jogos finalizados, que têm para já, como grandes surpresas, as eliminações do Sevilha e da Roma.
Jogos desta quinta-feira:

Dínamo Bucareste (Roménia)-Vorskla Poltava (Ucrânia), 2-3 (1-2)
Spartak Moscovo (Rússia)-Légia Varsóvia (Polónia), 2-3 (2-2)
Rennes (França)-Estrela Vermelha (Sérvia), 4-0 (2-1)
PSV Eindhoven (Holanda)-Ried (Áustria), 5-0 (0-0)
AEK Larnaca (Chipre)-Rosenborg (Noruega), 2-1 (0-0)
Dínamo Kiev (Ucrânia)-Litex Lovech (Bulgária), 1-0 (2-1)
Gaz Metan Medias (Roménia)-Austria Viena (Áustria), 1-0 (1-3)
Trnava (Eslováquia)-Lokomotiv Moscovo (Rússia), 1-1 (0-2)
CSKA Sófia (Bulgária)-Steaua Bucareste (Roménia), 1-1 (0-2)
Hapoel Telavive (Israel)-Ekranas (Lituânia), 4-0 (0-1)
Young Boys (Suíça)-Sp. Braga (Portugal), 2-2 (0-0)
Dínamo Tbilisi (Geórgia)-AEK Atenas (Grécia), 1-1 (0-1)
Rapid Bucareste (Roménia)-Slask Wroclaw (Polónia), 1-1 (3-1)
Sparta Praga (Rep. Checa)-FC Vaslui, 1-0 (Roménia) (0-2)
Helsingborg (Suécia)-Standard Liège (Bélgica), 1-3 (0-1)
Panathinaikos (Grécia)-Maccabi Telavive (Israel), 2-1 (0-3)
Schalke (Alemanha)-HJK Helsínquia (Finlândia), 6-1 (0-2)
Anderlecht (Bélgica)-Bursaspor (Turquia), 2-2 (2-1)
Club Brugge (Bélgica)-Zestafoni (Geórgia), 2-0 (3-3)
Dnipro (Ucrânia)-Fulham (Inglaterra), 1-0 (0-3)
Rangers (Escócia)-NK Maribor (Eslovénia), 1-1 (1-2)
Sion (Suíça)-Celtic (Escócia), 3-1 (0-0)
Vitória Guimarães (Portugal)-Atlético Madrid (Espanha), 0-4 (0-2)
Alania Vladikavkaz (Rússia)-Besiktas (Turquia), 2-0 (0-3)
Roma (Itália)-Slovan Bratislava (Eslováquia), 1-1 (0-1)
AZ Alkmaar (Holanda)-Aalesund (Noruega), 6-0 (1-2)
Birmingham (Inglaterra)-Nacional (Portugal), 3-0 (0-0)
Rabotnicki (Macedónia)-Lazio (Itália), 1-3 (0-6)
Sochaux (França)-Metalist Kharkiv (Ucrânia), 0-4 (0-0)
Stoke (Inglaterra)-Thun (Suíça), 4-1 (1-0)
Paris Saint-Germain (França)-Differdange (Luxemburgo), 2-0 (4-0)
Tottenham (Inglaterra)-Hearts (Escócia), 0-0 (5-0)
Karpaty Lviv (Ucrânia)-PAOK Salónica (Grécia), 1-1 (0-2)
Partizan (Sérvia)-Shamrock Rovers (Irlanda), 1-2 (1-1)
Salzburg (Áustria)-Omonia Nicosia (Chipre), 1-0 (1-2)
Sevilha (Espanha)-Hannover (Alemanha), 1-1 (1-2)

Sporting (Portugal)-FC Nordsjaelland (Dinamarca) (0-0)
Athletic Bilbao (Espanha) apurado sem jogar, devido à passagem do Trabzonspor para a Liga dos Campeões na sequência da desqualificação do Fenerbahçe.

 

publicado por carlitos às 23:11

Quarta-feira, 24 de Agosto, 2011

 

Sp. Braga: Pizzi e Lima também vão à Suíça
Os dois avançados foram convocados para a primeira mão mas acabaram por ficar fora dos 18

O treinador do Sp. Braga convocou para a segunda mão do «play-off» da Liga Europa, com o Young Boys, os mesmos 19 jogadores que chamou para o jogo com o Marítimo, do passado domingo.

Entre os eleitos destaque para as presenças de Pizzi e Lima, que estarão de saída do clube, respectivamente, para At. Madrid e Besiktas. Recorde-se que tanto o avançado português como o brasileiro foram convocados para a primeira mão (0-0), mas acabaram por ficar fora dos 18.

Já Imourou, Paulo César, Custódio, Zé Luís e Ukra são baixas devido a lesão.

O Sp. Braga parte para Berna nesta quarta-feira, às 10h45. A segunda mão realiza-se na quinta-feira, às 18h30 de Portugal continental.

Lista de convocados:
Guarda-redes: Quim e Berni;
Defesas: Baiano, Nuno André Coelho, Paulo Vinícius, Ewerton e Elderson;
Médios: Djamal, Vinícius, Guilherme, Salino, Hugo Viana e Mossoró;
Avançados: Alan, Hélder Barbosa, Lima, Pizzi, Nuno Gomes e Meyong.

publicado por carlitos às 23:39

 

 

                                                                                                                   SCBRAGA vs Sevilha.

 

 «Ou como o “pobre” atrevido e humilde humilhou o grande senhor rico».

 

Sob o pensamento “dos fracos não reza a história”, uma vitória conseguida num campo de batalha por muito adverso e difícil de ultrapassar (ou não o serão todos?) mas este tinha a particularidade de ser uma autêntica muralha para qualquer equipa que visita aquelas terras de Andaluzia. Moral em alta de um Humilde, Humilhados os Grandes”, como li há anos numa crónica onde David virou Golias como neste caso.

 

Aquela tarde noite fez-nos esquecer todas as tristezas, as taxas de desemprego, as crises e os incêndios que fustigaram as florestas (ai Gerês, meu querido Gerês) os nossos governantes e o que (não) fazem para isto melhorar de cara e de saúde pois anda tudo moribundo.

 

Valeu-nos por esses dias, mais uma vez, o futebol, na imagem dos guerreiros do Minho, o SCBraga, que esteve a velar pela felicidade de quem AMA daquela forma que só nós braguistas sentimos e conseguimos atingir qual orgasmo futebolístico qual clímax de felicidade o que nos torna, afinal tão diferentes dos restantes e isto sem qualquer tipo de hipocrisia ou vedetismo tão pouco bairrismo. Apenas se sente assim quem nasce braguista e mais nada!

 

As lágrimas teimaram em cair com o golo de Matheus. O coração já o esperava, ia chegar aos limites previra eu com a certeza de quem vive assim o SCBraga há mais de 35 anos, numa mescla de alegria e de sofrimento, sem conseguir manter-me quieto como se os meus passos fizessem andar mais rápido os ponteiros do relógio.

 

De realçar que os Andaluzes nunca foram equipa superior à equipa comandada por Domingos Paciência.

 

O primeiro golo surgiu aos 31 minutos, por intermédio de Matheus, após boa jogada numa arrancada de Paulo César culminando com um belo remate que Palop apenas defendeu para a sua frente onde o brasileiro teve “apenas” de empurrar a bola para as redes do Sevilla. O Arsenal Bracarense continuou a controlar a partida e já na segunda parte, aos 58 minutos, Lima começava a abrir o livro numa noite tórrida tão típica daquela zona espanhola, ao apontar um hat trick.

 

Logo a seguir Luís Fabiano fez o 2-1 e aos 84 minutos Navas empatou. No mesmo instante em que os sevilhanos começavam a acreditar no apuramento – a equipa precisava de marcar ainda dois golos – Lima acabou com a discussão: aos 85 minutos o brasileiro aproveitou uma má saída do guarda-redes espanhol para fazer o 2-3 e quatro minutos depois marcou o seu terceiro golo, o quarto da equipa bracarense.

 

Mantendo o ritmo louco e apoteótico da partida, Kanouté ainda fez o 3-4 em período de compensações, mas a noite era portuguesa. O Sp. Braga estava, justamente, apurado e estava de parabéns: a equipa, jogadores e técnicos, adeptos que tiveram o privilégio de terem assistido no palco do Pizjuan á partida ao vivo, todos aqueles - eu incluído, é óbvio – que por todo o mundo via rádio, internet ou tv, depois das batidas cardíacas em alto ritmo, do roer das unhas e de olhar constantemente para os minutos, também partilharam a alegria do feito acabado de realizar ao testemunharem uma das mais belas páginas da história do clube que certamente vai merecer destaque por muitos e muitos anos. Para trás já ficaram Celtic e Sevilha. Vamos então continuar a sonhar e através do nosso futebol espectáculo que os nossos jogadores emprestam em cada partida deliciando e aquecendo os corações dos seus adeptos e mostrar toda essa magia a esta europa futebolistica que já conhece o mais recente senhor ilustre da “Champions”. Em Portugal tal façanha só foi conseguida pelo triunvirato do costume, o Boavista e agora o nosso Braguinha.Não é para todos, não senhor!

 

O sonho tornou-se realidade, naquela terça-feira, para a equipa de Domingos Paciência: o Sporting Clube de Braga garantia a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões ao bater o Sevilha por 4-3, no jogo a contar para a segunda-mão dos “play-off” da competição milionária.

 

Depois, com o resultado feito e terminado o jogo, caíram as lágrimas por uma face desejosa de viver um momento idêntico há 35 anos (o próximo será o ceptro nacional ou uma das duas ou mesmo as duas, taças a da Liga e a de Portugal)) fizeram ir buscar ao âmago do meu ser, lá bem, bem fundo o grito do guerreiro e chorei novamente e gritei, saltei esbracejei beijei a face do Lima e do Matheus na TV emprestada para a festa.

Apesar de estar de férias em Ofir o senhorio devia “ter-se passado dos carretos” com os nossos gritos e vozes efusivas pois toda a família era a imagem da felicidade.

 

Saí para comprar cigarros para acalmar os nervos e o palpitar deste coração que sofre de amores pelo ENORME, e que esta noite muito saltou mas cheio de orgulho conseguiu aguentar mais uma vez as batidas rápidas que quase provocavam sufoco, a espaços e assim, novamente escondidos os receios e mostradas as virtudes para outra luta tive a oportunidade de mais uma vez mesmo longe de Braga ouvir os cânticos tão usuais nos estádios onde o SCBRAGA joga. Procurei pelas vozes que rompiam a noite e numa cumplicidade houve abraços entre hálitos etílicos abraços apertados e cheios de emoção com só nós braguistas conseguimos sentir. E já em casa ouvia-se nas pequenas e apertadas ruelas de vez em quando as gargantas bracarenses a darem azo á sua alegria.

 

FEZ-SE HISTÓRIA com uma das mais bonitas páginas dos 89 anos do nosso clube a ser escrita naquele dia 24 de Agosto do ano da graça de 2010. Apenas mais um para brevemente completarmos com o almejado titulo nacional. Mesmo que já não possa celebrar entre os vivos prometo que farei a maior das algazarras para martírio de S. Pedro e companhia.

 

Todos estão de parabéns de Felipe a Lima passando por Matheus ou Elderson sem esquecer as vozes daqueles que fizeram em pleno Sanchez Pizjuan a “fiesta” jamais pensada pelos espanhóis depois de pegarem o touro pelos cornos e ganhar respeito naquela arena super lotada. Só faltaram as rosas vermelhas que foram graciosamente substituídas pelo vermelho das camisolas e cachecóis dos nossos amigos braguistas . O SCB no país que é o actual campeão do mundo e da Europa é, hoje, um clube prestigiado com direito a vénia e palavras bonitas escritas por escribas que percebem da coisa e fazem "mea culpa" mas foram melhores. Novamente a história de David e Golias ou dos milhões e dos tostões.

Os Sevilhanos renderam-se ao nosso poderio e sinal disso foi ao intervalo pedirem aos nossos homens as camisolas do jogo. Numa segunda parte imprópria para cardíacos assistiu-se ao 2-0 de Lima e o rebolar no chão alcatifado e entre dentes segredar “já está…” mesmo de, no minuto seguinte sofrermos um golo que Felipe nunca sonhou sofrer nem nos piores pesadelos baixou a fasquia do sucesso que acreditava estava quase. E veio o empate mas as contas com o golo do Axa fizeram-me ter calma e o sonho correu célere como Lima a correr sem pedir licença aos adversários e sem apelo nem agravo desfeitear mais uma vez o desafortunado Palop. Mas não satisfeito quase numa toada de parada e resposta num jogo digno de uma meia-final da Champions (ou Final?) Lima fez mais uma caipirinha adocicada com o hat trick, inédito nestas andanças, virgem nos grandes palcos Lima e companhia foram enormes receberam palmas alheias porque os espanhóis têm bom perder e como os ingleses são autênticos “gentlemens” o que só enobrece ainda mais este feito histórico. Depois o 3º golo dos andaluzes foi numa altura em que os jogadores arsenalistas já só pensavam nos festejos, como seriam recebidos no Aeroporto e na própria cidade.

 

Para muitos deles por essa altura já tinham pensado que afinal a melhor escolha para esta época tinha sido ficado ou assinado pelo SCBraga. Pois esta época mais nenhum clube lhe podia dar o gozo por que viveram o tal êxtase o tal orgasmo que fez vibrar todo o corpo toda uma nação braguista que só tem a agradecer por nos terem oferecido 95 minutos de uma alegria que durará na nossa memória mesmo no último segundo de vida de cada um de nós.

 

A primeira parte da prova rainha das competições Uefeiras foi de dificuldades sérias e elevadíssimas para os bracarenses, pois antes coubera-lhe nas bolas do sorteio a prestigiada equipa do Celtic – que ainda há meia dúzia de anos tinha chegado á final da Taça UEFA onde cairia aos pés do FC Porto de Mourinho. Mas a segunda metade da competição foi bem recheada de dificuldades. Nada mais nada menos que o actual quarto (?) grande de Espanha logo atrás de Barcelona, Real Madrid e Valência e até neste aspecto cá como lá reside o facto de quem será o quarto grande e se realmente (atendendo sobretudo aos anos mais recentes e respectivas performances desportivas) serão o quarto ou se serão algo mais, no caso português há quem troque de posição o Sporting de Braga pelo de Lisboa, mas adiante que isto são contas de outro rosário. Mas o Sevilha tem algo que mete mais respeito não tivesse vencido duas taças UEFA e uma Supertaça Europeia culminando esta época 09/10 com a vitória na Taça do Rei frente ao Atl Madrid, este vencedor da 1ª Liga Europa. Uma equipa recheada de estrelas, desde o Guarda - Redes Palop passando pelo mágico Jesus Navas até Kanouté ou Luís Fabiano.

 

Creio que nestas duas partes apenas os verdadeiros braguistas acreditavam numa inédita passagem á fase de grupos da milionária Liga dos Campeões. De resto um ou outro comentador apenas para ficar bem na fotografia e pouco mais. Começou aqui o explosivo SCBraga versão 10/11. Ou seja, uma metade da competição foi bem recheada de dificuldades. E ultrapassadas de forma impecável com verdadeiros jogos épicos que constituíram autênticos hinos ao futebol bem jogado em todas as linhas, com uma lição táctica do Domingos que com a sua peculiar humildade fez corar meia Europa que boquiaberta mais não teve que dar o braço a torcer e dar as boas vindas ao S.C. Braga na entrada da alta-roda do futebol europeu. Estenderam-lhe a passadeira vermelha sob os holofotes da fama, uma autêntica vitrina para qualquer jogador conseguir vir a jogar ainda mais, ao alto nível.

 

Um feito extraordinário, dadas as condições em que o obteve, pois teve de arredar do seu caminho dois autênticos campeões dos seus países. Naturalmente, como o triunfo premiou a equipa e a encheu de júbilo, o nome SCBraga ocupou com mérito os comentários dos cafés e autocarros no trabalho e nas ruas, ouvia-se falar em orgulho em ser não só braguista mas português quando o coração era de outra cor. Mal refeita das emoções vividas naquela noite de 24 de Agosto, a cidade de Braga aguardava, excitada, o dia amanhecer para ver, quando foi caso disso, porque nem neste aspecto houve unanimidade, grandes fotos dos festejos e dos golos, dos sorrisos e abraços nas primeiras páginas dos jornais e nas aberturas dos telejornais.

Esta partida do Sanchez Pizjuan aconteceu há relativamente pouco tempo mas sinto que muitos vão ter olhos de saudade ao passarem por estas linhas porque queriamos que todos os jogos fossem como os daquela terça-feira: emotivo, atmosfera contagiante e digna dum jogo da fase de grupos da “Champions”,golos, e muitos foram eles! E acima de tudo vitória.Uma vitória que para nuestros hermanos sevilhanos, significa a derrota mais pesada sofrida em “casa” nas competições Uefeiras.Nunca antes, alguém se atrevera a fazer semelhante façanha.

A voragem do tempo há-de encarregar-se de ir apagando, aos poucos, da memória de cada um, vivências e emoções e este jogo não vai, por certo, fugir á regra. Resta-nos os dvd's ou YouTube e as novas tecnologias para de quando em vez, matarmos essa saudade e recordar vezes sem conta Lima e os seus três golos, Matheus e até o franguito do Felipe há-de tirar um esgar dum sorriso malandro. Há-de ser num tempo de despreocupações porque agora temos de continuar a arrepiar caminho e habituarmo-nos aos grandes clubes europeus poisse queremos continuar a ser grandes temos de os enfrentar qual batalha agora as armas destes guerreiros do Minho, cada vez mais serão equiparáveis (não aos milões gastos pelos tubarões, anualmente, na construção dos seus planteis, mas neste último aspecto citado, a magia a sabedoria e a maturação aliadas á experiência que será sempre boa conselheiira serão responsáveis por não se notar tanto a diferença de valores (financeiramente tratando) dentro das quatro linhas. O tempo que vai correr vai acabar por me dar razão. Tenhamos sempre em todasas épocas estruturas internas (SAD e sua força humana) capazes de manter o clube a respirar saúde financeira que os (bons) resultados desportivos surgirão como reflexo dessa filosofia adoptada.

 

Noutro prisma, a passagem á fase de grupos da prova milionária da UEFA, conquistada com mérito absoluto no Estádio Sanchez Pizjuan chegou, por fim, e com ela os jogadores que tão briosamente a souberam conquistar.

Nem a suave brisa matinal de um dia que se anunciava quente, conseguiu refrescar o fogo em que a cidade ardia, euforia e cânticos, gritos de paixão e os corações ao alto que tinha feito esquecer aos bracarenses a noção deste tempo de crise e se viram por dias e dias mergulhados num sono do qual jamais deviam sair.

Os que de Sevilha iam chegando eram as melhores testemunhas de uma proeza única no historial do Sporting bracarense. Acredito que hoje será difícil distinguir esta alegria da de, por exemplo, 1966 quando voltamos a ser a “capital” do bom futebol.

Eles tinham visto como e porque os Deuses escolheram Braga por capital; eles traziam ainda nos olhos e nas gargantas o brilho de uma vitória que vale milhões e prestigio só ao alcance de poucos. Os milhares que acompanharam a equipa nesta jornada de glória funcionaram como os representantes duma cidade e duma região e, vá lá, de um país que em tempo de crise, de orçamentos de Estado por ratificar e farto das mesmas caras a encherem os ecrãs de televisão ou as páginas dos jornais, por momentos tudo foi esquecido e Portugal passou-se para Braga também ela vestindo novamente o epíteto de capital da Galécia.

 

Esgotaram-se as forças dos braços que emprestaram palmas e pausas ensaiadas, roucas ficaram as gargantas de tanto golo e tanto SCBRAGA gritar. Hoje coloca-se o cachecol ao ombro, enrola-se a bandeira. Penso que a missão está (bem) cumprida. Inspiro fundo e fecho os olhos para tentar ver mais além naquilo que de essêncial ficou na alegria de suas caras, a bola que beija suavemente a rede. Uma pequena brisa passa como se fosse o filme destes jogos que realizamos.

 

A todos os actores e técnicos que souberam colocar ao rubro em todas as sessões a sua plateia apenas quero pedir bis para a próxima para assim, devagar, devagarinho chegarmos ao topo e aí cada um destes braguistas vai com um dedo apenas poder tocar os céus. E o resto não vai interessar para nada.

 

Pois que seja feita a vontade do Homem e que continuemos a alimentar este sonho, qual Pedra Filosofal que era o principal objectivo dos alquimistas. Onde, segundo a lenda, aquela, era um objecto que podia aproximar o homem de Deus. Com ela o alquimista podia ainda, transformar qualquer metal vulgar em ouro, como também obter o Elixir da Longa Vida que permitia prolongar a vida indefinidamente. Neste caso vamos em busca da nossa Pedra Filosofal que seja por nós vista como um objecto capaz de prolongar esse nosso sonho até Maio. Como era bom e porque ainda não custa nada vamos continuar a sonhar e a viver esse sonho ou como António Gedeão na sua pedra filosofal escreve...Eles não sabem, nem sonham, que o sonho comanda a vida, que sempre que um homem sonha o mundo pula e avança como bola colorida entre as mãos de uma criança.

Sonhemos, então!

Carlos Alberto Rodrigues

publicado por carlitos às 23:12

Outra Cidade de Braga
mais sobre mim
Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

16
17
18
19

22
27

30


ELEVADOR DO BOM JESUS DO MONTE
pesquisar
 
últ. comentários
ola Sílvia.Como amigo que fui do Mário, não podia ...
Olá Carlos!Peço imensa desculpa por não ter respon...
Força Sporting!!! Vamos ganhar Zurich!!!!
Se foi apanhado nas malhas do doping só terá de pa...
Creio que virá a ser uma grande jogador!! já tinha...
É bom ver que grandes marcas como a HP têm em cont...
Será verdade? Este Alan gosta muito de picar o Jav...
Sinceramente acho que este senhor ficou tempo dema...
Poderíamos ter uma equipa já apurada para a próxim...
Vale é que muitos pais avós (agora promovidos a am...
LARGO do PAÇO BRAGA
BRAGA
JARDIM SANTA BÁRBARA - BRAGA
BANCO DE PORTUGAL - BRAGA
SC BRAGA
Outra Cidade de Braga
VICE-CAMPEÃO NACIONAL
ESTÁDIO AXA
subscrever feeds