...onde o facto pactua com a verdade... sempre!!!

contador
Sexta-feira, 21 de Outubro, 2011

 
NOTICIAS DO ENORME DO DIA 21/10
Arsenal de pólvora seca

 

Triste sina... num jogo em que as duas equipas pretendiam vencer, nenhuma delas o conseguiu. Para chegar a tal objectivo, os dois técnicos utilizaram estratégias diferentes, mas estas por vezes não chegam. Há outras contingências que acabam por moldar o jogo e em Maribor isso começou por suceder. A chuva constante que caiu ao longo do dia ‘encharcou’ o relvado e os jogadores do Braga sentiram alguma dificuldade em se adaptar. Muitos escorregavam e não conseguiam controlar a bola.

Cedo deu para ver que a equipa do Maribor iria procurar as faixas laterais para canalizar o seu jogo ofensivo e aproveitar a deficiência que o Sporting de Braga demonstrou nomeadamente na recuperação que os minhotos faziam de uma forma lenta e que permitiam que os eslovenos pudessem circular a bola de uma forma mais rápida dentro do meio campo defensivo dos arsenalistas.

Foi precisamente com estas duas situações que o Maribor construiu a jogada do primeiro golo e chegou à vantagem. O Braga procurou reagir, criou três situações de golo que Lima desperdiçou e num lance de bola parada o lateral esquerdo Elderson acabaria por fazer o golo da igualdade.

E se há alturas boas para a obtenção de golos, esta foi uma delas, pois surgiu antes do intervalo de forma a que Leonardo Jardim pudesse corrigir alguns pormenores que não tinham estado à altura no primeiro período de jogo. Havia que alterar fundamentalmente a forma como o Sporting de Braga fazia a recuperação defensiva, e fazer com que, na zona do meio campo, os jogadores arsenalistas fossem mais agressivos, mais pressionantes, de forma a que os eslovenos não tivessem tempo de pensar o jogo e não conseguissem fazer a circulação de bola como o haviam feito nos primeiros quarenta e cinco minutos.

Na segunda metade a equipa do Braga surgiu diferente. Fez subir as linhas e tornou-se mais agressiva. Ganhou mais bolas no meio campo, mas curiosamente foi no período mais repartido da etapa complementar que os arsenalistas criaram situações para chegar à vantagem, nomeadamente quando Hugo Viana enviou a bola à trave do gigante guarda-redes esloveno.
Ontem, o Braga teve pela frente um adversário com muita atitude e vontade, resultado também da juventude que impera nesta equipa eslovena . O Sporting de Braga acabou por pagar a factura daquilo que fez na primeira parte. Agora os dois jogos no AXA são primordiais e o arsenal tem de estar bem.

“Vamos trabalhar para conseguir o objectivo”

O Sporting de Braga regressa a casa com mais um ponto na bagagem, mas com um sabor amargo na medida em que complicou as contas no apuramento para a próxima fase da Liga Europa.
“Estamos tristes pelo facto de não termos conseguido o nosso objectivo que era vencer. Tudo fizemos para conseguir a vitória, num jogo difícil e num terreno difícil para jogar”, comentou Leonardo Jardim, na análise ao jogo disputado em Maribor.

No entender do treinador do Braga, o maior problema foi a adaptação da equipa ao jogo. “Nos primeiros 15 minutos o Braga não esteve num nível de rendimento alto como é normal, mas depois teve maior controlo do jogo”, salientou Leonardo Jardim. O Sporting de Braga chegou a estar em desvantagem, mas recuperou no marcador.
“Até ao fim da partida, o Braga foi a equipa que criou mais situações de golo, mas não teve a eficácia do seu lado que permitisse sair daqui com outro resultado”, lamentou o treinador.
Ainda assim, nada está perdido.

Leonardo Jardim levanta a cabeça e aponta já metas para o futuro nas provas europeias. “A nossa preocupação é passar o grupo e para isso temos de conquistar pontos. Temos dois jogos em nossa casa que podem, ou não, dar a possibilidade de passar à próxima fase. É para isso que vamos trabalhar, para conseguir o nosso objectivo nesta competição”, referiu o treinador, numa alusão aos reencontros com o Maribor e Birmigham.

“Se necessário no último jogo, na Bélgica, também vamos lutar pelos pontos porque o Braga é competente e também pode conquistar esses pontos”, frisou o treinador dos bracarenses. Para tal, deu conta Leonardo Jardim, “temos de fazer mais do que dois dos nossos directos adversários”.
E lembrou ainda que “o Maribor não foi uma surpresa, pois já tínhamos observado os dois jogos. Sabíamos que era uma equipa com este futebol, os resultados anteriores não reflectem a qualidade da equipa”, vincou o técnico do Sporting de Braga.

CORREIO DO MINHO
 

O hábito de patinar nos próprios erros

Conquistar um ponto é sempre melhor do que nenhum, mas o Braga deve queixar-se de si próprio por não ter saído de Maribor numa posição bem mais confortável para conseguir o apuramento para a fase seguinte da Liga Europa. É verdade que as condições do relvado não ajudaram, todavia, foram os inúmeros erros cometidos na finalização que acabaram por originar este empate. Só Lima desperdiçou três boas ocasiões, todas na primeira parte. E para que o festival de desperdício fosse completo, não poderia faltar um remate ao poste, efectuado por Hugo Viana, o grande impulsionador da reacção dos arsenalistas, que sofrem golos há quatro encontros consecutivos (Brugge, Leiria, 1º Dezembro e Maribor) De resto, só ganharam na Taça de Portugal.

Mais do que o ambiente do Estádio Ljudski vrt, o piso acabou por ser o grande obstáculo do Braga. A chuva que caiu durante o dia em Maribor deixou o relvado encharcado, acabando por prejudicar a circulação de bola que os arsenalistas tanto gostam de fazer e dificultando a acção de Alan, Mossoró e Hélder Barbosa, as três unidades que jogavam no apoio a Lima. As primeiras vítimas destas condições, contudo, acabaram por ser os homens do sector recuado, que, devido à falta de aderência, caíram como pedras de dominó na área, abrindo, desta forma, uma auto-estrada que a bola percorreu até chegar aos pés de Ibraimi. Bafejado com a oferta dos deuses, o macedónio aproveitou para bater o guarda-redes português, mas curiosamente, o momento até fez bem aos arsenalistas.

Conscientes que um mau resultado poderia complicar as contas do apuramento - como veio a suceder -, o Braga iniciou de imediato a reacção, mas, sem os habituais homens para transportar a bola até ao ataque, a solução acabou por ser outra: os lançamentos em velocidade para Lima. Face à lentidão da defesa do Maribor, principalmente Arghus, o brasileiro isolava-se sempre com facilidade e até conseguia entrar na área. Contudo, tanto na primeira, como na segunda, como até na terceira vez em que surgiu frente a Handanovic, foi incapaz de fazer o que os bracarenses já mereciam.

A falta de eficácia do Braga, que tantos dissabores já lhe havia provocado no passado, começava a ser desesperante para quem assistia, até porque Hugo Viana há muito havia ganho o controlo do jogo. Mesmo sem grande ajuda de Djamal, o médio português - muita razão tinham os eslovenos para o recear - conseguia encontrar sempre um companheiro a quem entregar a bola. Foi o que aconteceu já perto do intervalo, quando Elderson alcançou (com alguma felicidade) o empate, que deixou os eslovenos nitidamente perturbados. Contudo, para azar do finalista vencido da última Liga Europa, o árbitro pouco mais tempo deu para se perceber efectivamente se poderia tirar dividendos do golo.

Após o intervalo o ritmo abrandou e as oportunidades foram mais raras. O Maribor foi um pouco mais ameaçador, mas, para não variar, as melhores ocasiões pertenceram ao Braga. O tiro de Hugo Viana ao poste foi o melhor. E se a bola tivesse entrado, as contas seriam outras.


Arbitragem
Golo do Braga em fora-de-jogo

Apesar de ter sido bastante contestado pelos locais, o lance mais complicado que o árbitro teve de analisar foi o do golo do Braga, já que a bola bate nas costas de Djamal antes de sobrar para Elderson, que estava à frente do médio. Tentou não complicar no capítulo disciplinar e aos 88' ajuizou bem um lance na área dos arsenalistas, já que Ewerton cortou a bola com o peito e não com a mão.


O MOMENTO

86'
Barra nega festa a Viana

Com imensas dificuldades para criar perigo junto da baliza de Quim, o Maribor rezava para que o Braga não começasse a acertar com a baliza e lhe roubasse o primeiro ponto na fase de grupos da Liga Europa. Mas isso esteve perto de acontecer. Numa jogada rara, Hugo Viana surgiu na área a cabecear (!). No entanto, viu a barra negar-lhe o golo e penalizar a equipa pelas oportunidades que havia desperdiçado anteriormente.


Lances-chave

14' [1-0] Milec desmarca-se pela direita e cruza ligeiramente atrasado para a área. Traídos pelo relvado, os bracarenses escorregam e vêem Ibraimi, ao segundo poste, bater Quim.

16' Arghus, com o corpo, opõe-se ao tiro de Lima.

22' Desmarcado por Mossoró, Lima atira por cima.

25' Abertura de Hugo Viana para Lima. O avançado ganha em velocidade aos centrais, mas erra o alvo.

26' Paulo Vinícius responde bem a um canto de Hugo Viana. No entanto, Handanovic evita o empate.

32' Lima falha pela terceira vez. Outra vez lançado por Hugo Viana, o brasileiro remata e Handanovic defende com os pés.

42' Quim desvia um cruzamento-remate de Ibraimi que ia entrar ao ângulo.

44' [1-1] Livre de Hugo Viana para a área. Um esloveno tenta o corte, mas a bola bate nas costas de Djamal e sobra para Elderson, adiantado, empatar.

45' Handanovic voa para negar o golo a Mossoró.

50' Hélder Barbosa serve Hugo Viana, que, com o pior pé (direito), atira por alto.

61' Livre directo de Hugo Viana a que Handanovic responde com uma grande defesa.

86' Hugo Viana acerta na trave.


A ESTRELA

Hugo Viana 7
Pé a fundo e nem chegou à reserva

Com Hugo Viana em campo, a música do Braga é outra: tem ritmo e batida forte, estilo "hard rock". Foi o que não se (ou)viu na Marinha Grande, por exemplo. Para grande desgraça da equipa eslovena, o médio entrou em campo com o tanque cheio e jogou com a corda toda, contagiando os companheiros, especialmente nos períodos de maior desnorte. Além de ter antecipado o golo de Elderson na cobrança de um livre, isolou Lima na cara do guarda-redes, testou os reflexos de Handanonovic com uma bomba e, num desvio de cabeça, chegou a acertar na barra.

 

O Braga um a um
Viana de tanque cheio

Quim 6

Sem responsabilidades no golo marcado por Ibraima, transmitiu serenidade nos períodos de maior sufoco. Na baliza contrária, Handanovic deu espectáculo, mas o guarda-redes português também fez questão de mostrar os seus dotes, defendendo perigosos disparos de Lesjak (19') e Ibraima (41'). No caso do segundo remate, evitou mesmo o 2-0.

Baiano 4

Actuou com dinamismo habitual, revelando-se muito útil na construção de ataques pela direita, mas ficou muito marcado pelo lance do golo esloveno. Ao tentar desfazer um cruzamento, escorregou e colocou a bola nos pés do avançado, que não perdoou.

Paulo Vinícius 6

Sempre de olho em Marcos e Volas, varreu uma mão-cheia de lances perigosos. Prático no desarme, compensou os lapsos de Ewerton.

Ewerton 4

Errou na escolha das chuteiras (denotou problemas de tracção do princípio ao fim) e quase sempre na forma como abordava o inimigo. Pela positiva, testou a atenção de Handanovic através de um desvio de cabeça.

Elderson 6

Transformou a desgraça de lidar com Mezga, o mais perigoso do Maribor, numa exibição conseguida, com personalidade. Decidido no desarme e com pernas para acompanhar o número 8 , restabeleceu a igualdade ao aproveitar, à boca da baliza, uma bola bombeada por Hugo Viana, a que ninguém conseguiu chegar.

Djamal 6

Deu-se bem com o terreno escorregadio, defendendo de forma prática e servindo os companheiros sem hesitações perigosas. Funcionou bem como intimidador e libertou Hugo Viana.

Alan 5

Nem sempre resultaram em bons lances as constantes transgressões de velocidade que foi cometendo pela direita. O que lhe faltou em objectividade sobrou em disponibilidade.

Mossoró 5

Mentalizado para uma missão de sacrifício, esteve uns furos valentes acima do habitual esta época, que era fraco. Lutou, desbravou caminhos e só não arriscou o remate.

Hélder Barbosa 5

Sem o brilho dos últimos jogos e também sem golos, teve o condão de arrastar vários defesas... não fosse o diabo tecê-las, e pagou caro a marcação, denotando dificuldades em fazer uso da sua velocidade e dos seus bons cruzamentos. Não estranhou a sua substituição por Leandro Salino.

Lima 5

Inteligente e rápido a desmarcar-se, desperdiçou três boas oportunidades para marcar logo no primeiro tempo. A mais escandalosa foi à passagem da primeira meia hora, rematando, de forma displicente, rasteiro e fraco, à figura de Handanovic.

Salino 5

Leonardo Jardim entendeu que era necessário equilibrar os pratos da balança a meio-campo e, por aí, o brasileiro funcionou na perfeição.

Paulo César 4

Lançado para os últimos 20 minutos de jogo, matou saudades da competição, entrando com vontade, embora sem efeitos práticos.


Leonardo Jardim
"Maribor não foi uma surpresa"

O empate não estava nos planos de Leonardo Jardim, pelo que se entende que o treinador dissesse, no final da visita ao Maribor, que o Braga saiu "triste pelo facto de não ter conseguido o objectivo: vencer". "Tudo fizemos para o conseguir, criando muitas situações de golo num jogo difícil, num terreno complicado", acrescentou, apontando, contudo, alguma responsabilidade à equipa. "Nos primeiros 15 minutos não tivemos um rendimento alto, mas depois controlámos o jogo e fomos a equipa que mais oportunidades criou, porém não tivemos a eficácia desejada para obter outro resultado", disse.

A divisão de pontos nesta fase da competição não contribui muito para o jogo das probabilidades, mesmo assim Leonardo Jardim vislumbra um escape nos jogos em casa. "A nossa preocupação é passar o grupo, e teremos dois jogos em Braga que podem ou não dar-nos a possibilidade de passar à fase seguinte da Liga Europa", prometeu, garantindo que a equipa "vai trabalhar para os vencer". Caso as previsões não se concretizem, o treinador tem já um plano B. "Se for necessário", sublinha, "no último jogo, na Bélgica." "O Braga é competente e tem possibilidades para ganhar pontos fora", completou.

A atitude do Maribor não surpreendeu tanto Leonardo Jardim como quem esteve do lado de fora. "Não foi uma surpresa", afirmou. "Sabia que tinha este comportamento, aliás o resultado que teve frente ao Birmingham não reflecte o real valor desta equipa." Apesar de várias adversidades, em concreto o estado do terreno, o Braga, depois do golo, "teve uma atitude positiva". "Não é fácil justificar o que se passou nos primeiros 15 minutos: houve muitas quedas, mas os jogadores foram-se adaptando-se com o tempo e melhoraram", comentou Jardim, explicando por que razão deixou de fora o ponta-de-lança Nuno Gomes. Porque, argumentou, "não estavam reunidas as condições propícias para ele entrar": "Entendi por isso que outros elementos podiam ter mais rendimento."


Europa inspira Elderson para os golos

Frente ao Maribor, Elderson fez o segundo golo esta época: o primeiro foi contra o Marítimo e, curiosamente, na temporada passada também fez o gosto ao pé num jogo de uma competição europeia, no caso ante o Celtic, na pré-eliminatória da Liga dos Campeões. O autor do único tento do Braga, que garantiu o empate, confessou a "grande sensação de marcar" - tarefa, sublinhe-se, que não é da exclusiva competência de um lateral-esquerdo. "Este golo aumentou a minha confiança", revelou Elderson no final de um jogo com um "resultado que não é muito mau" para as pretensões do Braga.


Galo novamente excluído

Apesar de ter sido inscrito nesta fase da Liga Europa, o nome de Rodrigo Galo continua sem entrar numa ficha de jogo da competição. O lateral-direito brasileiro, que foi titular contra o 1º Dezembro, para a Taça de Portugal, foi novamente excluído por Leonardo Jardim, que preferiu ter no banco o recuperado Paulo César.

Karoglan foi ao hotel

A comitiva do Braga teve, ontem, uma visita especial. Karoglan, que representou o clube durante a década de 90, aproveitou a proximidade entre Maribor e Zagreb, onde reside, para se encontrar com alguns amigos de outros tempos. Ao final da tarde foi ver o jogo ao Estádio Ljudski vrt, onde esteve na companhia dos filhos.

Guerreiros na bancada

O número de adeptos do Braga nas bancadas do Estádio Ljudski vrt não era elevado - sensivelmente meia centana -, mas não se pode dizer que estes tenham pecado pela originalidade. Fazendo jus ao nome de Guerreiros do Minho, alguns apresentaram-se com um capacete que costuma ser utilizado pelos centuriões romanos.


Braga é uma inspiração

A campanha europeia que o Braga realizou na última época, com a chegada à final da Liga Europa, é uma fonte de inspiração para o Anderlecht. A revelação foi do presidente do clube, Roger Vanden Stock. "Se o Braga chegou à final, por que não podemos nós chegar? O Braga fez sonhar muita gente", afirmou o dirigente à televisão RTL.

Zahovic com ex-águias

A condição de adversários não fez esquecer o espírito de camaradagem entre Zahovic, Quim e Nuno Gomes, dos tempos em que os três se sagraram campeões pelo Benfica de Trapattoni, em 2004/05. O director-desportivo do Maribor e o guarda-redes, aliás, regressaram juntos dos balneários em amena conversa.


DISCURSO DIRECTO

Não temos ainda nada perdido, só dependemos de nós. Temos de ganhar os outros jogos em casa, sem pensar noutros resultados. O terreno dificultou bastante, mas demos o nosso melhor. O resultado não é assim tão mau

Baiano

Este jogo era para conquistar os três pontos, mas infelizmente falhámos muitas ocasiões de golo. Temos condições para passar na prova. O relvado estava muito escorregadio e ajudou o Maribor no golo. Ainda assim, controlámos o jogo

Lima

Queríamos muito ganhar, mas as condições do terreno dificultaram a nossa tarefa: eu fui dos que caíram muitas vezes. De qualquer forma, ainda temos hipóteses de alcançar o nosso objectivo na prova e vamos persegui-lo até ao fim

Hélder Barbosa

Senti-me muito bem neste regresso à competição, depois de muito tempo lesionado. Desperdiçámos várias oportunidades para marcar, mas acredito que vamos conseguir as vitórias de que precisamos para alcançar a qualificação

Paulo César

O JOGO

Bracarenses não foram além de um empate em Maribor (1-1)

Sporting de Braga complica contas

A equipa da casa beneficiou de uma má entrada dos bracarenses para se adiantarem no marcador e só Elderson evitou um mal maior.

O Sporting de Braga empatou a um golo na visita ao terreno Maribor, deixando a sensação de desperdício de dois pontos na Eslovénia, face à sua superior qualidade neste jogo do Grupo H da Liga Europa, principalmente a partir dos 20 minutos. Ibraimi (14’) ainda colocou os esforçados locais em vantagem, mas Elderson (44’) empatou o desafio, que parecia claramente ao alcance dos minhotos, finalistas na época passada da prova e que, aos 81 minutos, ainda viram Hugo Viana cabecear à trave.
Os «guerreiros do Minho» começaram muito apáticos, o que, aliado à chuva e determinação do opositor, permitiu aos eslovenos ganhar ascendente, criar perigo e marcar. Aos 14 minutos, Mezga cruzou na direita, um defesa bracarense escorregou, um segundo não evitou que o ressalto acabasse nos pés de Ibraimi, que atirou fora do alcance de Quim.
O tento motivou os locais, que viram Quim (19’) aplicar-se para travar um remate de Lesjak, aviso que finalmente despertou os pupilos de Leonardo Jardim.
Fazendo-se valer da clara superioridade técnica, os portugueses instalaram-se no meio campo adversário e começaram a ameaçar, destacando-se as perdidas de Lima (22 e 32 minutos), que, em posição privilegiada, primeiro errou o alvo e depois atirou à figura. A persistência dos minhotos resultou aos 44 minutos, num livre em que Elderson, em posição irregular, surgiu oportuno ao segundo poste a aproveitar o desacerto da defesa, num empate que poderia ter sido desfeito no minuto a seguir, não fosse Handanovic negar o golo a Mossoró.
No segundo tempo, Hugo Viana (50’ e 61’) ameaçou o golo, deixando antever uma maior agressividade dos bracarenses, mas o jogo acabou por ser menos intenso, sem tantas situações de perigo. Na que parecia mais decisiva, Leandro Salino cruzou na direita e o inevitável Hugo Viana (81’) cabeceou à trave, desperdiçando a melhor situação.
Face ao triunfo do Birmingham no terreno do Brugge (ver caixa ao lado), ingleses e belgas partilham a liderança com seis pontos, seguidos do Sporting de Braga com quatro e o menos experiente Maribor com apenas um.

Preocupante. Com o empate de ontem, o Sporting de Braga caiu para o terceiro lugar, com menos dois pontos dos líderes


FICHA
Maribor, 1
Handanovic; Milek, Potokar, Arghus e Trajkovski; Lesjak, Mertelj e Mezga; Ibraimi, Marcos (Beric, aos 74 minutos) e Volas (Velikonja, 85).
Treinador: Darko Milanic.
Sporting de Braga, 1
Quim; Baiano, Paulo Vinícius, Ewerton e Elderson; Djamal, Hugo Viana e Mossoró (Paulo César, 72); Hélder Barbosa (Leandro Salino, 67), Alan e Lima.
Treinador: Leonardo Jardim.
Árbitro: Stephan Studer (Suíça). Jogos disputado no Estádio Ljudski, em Maribor, perante 10 mil espetadores: Ao intervalo: 1-1. Marcadores: Ibraimi (14) e Elderson (44). Cartões amarelos: Alan (57), Lesjak (64), Trajkovski (66), Mezga (77) e Djamal (83).

PRIMEIRO DE JANEIRO

Desilusão: Minhotos empatam em casa do adversário mais frágil do grupo H
Braga sem pontaria

O Sp. Braga não conseguiu ir além de um empate (1-1) em casa do adversário mais frágil do Grupo H: o Maribor. A falta de pontaria e a inadaptação à chuva estão na base de um resultado que não estava nos planos de Leonardo Jardim, depois da derrota caseira com o Brugge (1-2), na última jornada europeia.

Debaixo de chuva e num relvado escorregadio, o Sp. Braga começou por revelar problemas de adaptação, mas ganhou, ainda assim, a posse da bola, perante a indiferença de um Maribor tão paciente quanto calculista. Todos os minhotos à procura de Lima, e os eslovenos sem pressa. O Maribor mostrou sempre a concentração de um ‘sniper’, pois estava à espera do momento certo, que chegaria aos 14’: após um cruzamento de Mezga, toda a defesa do Sp. Braga escorregou, Baiano cortou, sem querer, para os pés de Ibraimi e o médio enganou Quim.

Os minhotos partiram atrás do prejuízo e esperavam que a energia de Lima se traduzisse em golos. Isso não aconteceu, mas o avançado tolheu a paciência do adversário, pelo que os minhotos repuseram a igualdade em cima do intervalo: Elderson desviou com êxito um livre apontado por Hugo Viana, perante o adormecimento dos defesas contrários.

No segundo tempo, o Sp. Braga voltou a penetrar na muralha defensiva do Maribor, mas ficou a sensação de que o destino estava traçado, que era a noite de sonho do guarda-redes Handanovic ou era a noite dos remates ao lado, sobretudo de Lima e Alan. Nem as mexidas de Leonardo Jardim alteraram essa sensação, pelo contrário.

O cabeceamento de Hugo Viana aos ferros, a três minutos do fim, só veio acentuar a impotência dos minhotos. Com o guarda-redes esloveno batido pela primeira vez, e sem marcação, o médio do Sp. Braga foi acertar em cheio... na trave.

SÓ FALTOU O GOLO À DUPLA LIMA/VIANA

Quim – Sem culpas no golo. Defesas apertadas e seguras a remates de Lesjak e Ibraimi. Espectador no segundo tempo.

Baiano – Grandes dificuldades defensivas. Foi do seu lado que o Maribor levou perigo à baliza de Quim. O pior elemento da defesa, apesar do cruzamento para a bola à barra de Viana.

Paulo Vinicius – Escorregou no lance que deu o golo esloveno. Forte no jogo aéreo teve na cabeça o primeiro dos minhotos, mas o guardião contrário resolveu.

Ewerton – Corte decisivo evitou segundo golo dos eslovenos. Subiu de rendimento no segundo tempo.

Elderson – Começou mal no plano defensivo, mas redimiu-se com o golo do empate. Melhorou após o descanso.

Djamal – O poder físico do líbio foi insuficiente para suster o meio-campo contrário. Muitas dificuldades.

Mossoró – Só se viu quando rematou perigoso para grande defesa de Handanovic.

Hugo Viana – Depois das dificuldades iniciais, foi o patrão e o ‘assistente’ de serviço para o perdulário Lima. Perto de marcar num livre directo que Handanovic defendeu para canto. Teve na cabeça o golo da vitória, mas atirou à barra.

Hélder Barbosa – Um dos mais apagados. Menos influente do que é costume. Deu lugar a Salino aos 67’.

Alan – Tentou transportar a equipa para o ataque. Contudo, foi quase sempre inconsequente, quer na direita, quer na esquerda.

Salino – Entrou para fechar o lado direito no apoio a Baiano.

Paulo César – O objectivo era levar velocidade ao ataque bracarense. Missão fracassada.

Lima – Foi uma dor de cabeça para a defesa do Maribor, com três boas ocasiões para marcar. Isolado, atirou duas por cima e na outra o guarda-redes defendeu.

"FALTOU-NOS EFICÁCIA"

"Não conseguimos sair daqui com outro resultado porque, fundamentalmente, faltou-nos eficácia na finalização", disse Leonardo Jardim.

"Não entrámos bem, dado que encontrámos um terreno muito escorregadio. Durante esse período não conseguimos impor o nosso jogo", acrescentou o técnico do Sp. Braga.

Jardim adiantou ainda que, na segunda parte do encontro diante dos eslovenos do Maribor, os arsenalistas tiveram uma "atitude positiva". "Conseguimos explorar o nosso futebol e fomos capazes de criar várias situações para marcar. Só não saímos daqui com uma vitória porque, repito, a nossa eficácia não foi a melhor", vincou. n

FICHA DO JOGO

LIGA EUROPA- 3.ª Jorn. - Grupo H - 20/10/2011

Estádio Ljudski Vrt - Assistência: 10 000

Golos: 1-0 Ibraimi (14’), 1-1 Elderson (44’)

Figura do jogo: Lima, avançado, 28 anos

NK MARIBOR

Handanovic, Potokar, Arghus, Milec, Trajkovski, Mertelj, Lesjak, Mezga, Ibraimi, Marcos (Beric 74’), Volas (Velikonja 85’).

Suplentes não utilizados: Radan, Vidovic, Mejac, Filipovic, Cvijanovic.

Treinador: Darko Milanic

SP. BRAGA

Quim, Baiano, Ewerton, Paulo Vinícius, Elderson, Djamal, Hugo Viana, Mossoró (Paulo César 72’), Alan, Lima, Hélder Barbosa (Salino 67’).

Suplentes não utilizados: Berni, Douglão, Mérida, Nuno Gomes, Carlão.

Treinador: Leonardo Jardim

Árbitro: Stephan Studer (Suíça)

Disciplina: amarelos: Alan (57’), Lesjak (64’), Trajkovski (66’), Mezga (77’), Djamal (84’)

VITÓRIA NO MINUTO 100

O Birmingham venceu (2-1) ontem, fora, o Club Brugge, com o golo da vitória a ser marcado no minuto 100. O prolongamento da partida deveu-se a um choque de cabeças entre Ibanez (Birmingham) e Akpala. O jogador da equipa inglesa foi substituído, mas antes teve de ser assistido no relvado, pelo que o árbitro determinou 10 minu-tos de compensação. O jogo começou com os belgas a dominar e a chegarem ao 1-0 por Akpala (3’). Ainda na primeira parte, a formação da II divisão ing-lesa chegou ao empate, por Danny Murphy. No derradeiro minuto dos descontos, Chris Woods fez o 2-1.
Com a vitória na Bélgica, o Birmingham alcançou o Club Brugge na liderança do Grupo H da Liga Europa, ambos com seis pontos, mais dois do que o Sp. Braga (4).

CORREIO DA MANHA

Sporting Braga facilita frente ao Maribor e deixa dois pontos na Eslovénia

O Sporting de Braga empatou ontem 1-1 na visita ao Maribor, deixando a sensação de desperdício de dois pontos na Eslovénia, face à sua superior qualidade neste jogo do grupo H da Liga Europa de futebol.

Ibraimi aos 14 minutos ainda colocou os esforçados locais em vantagem, mas Elderson aos 44 empatou o desafio.

No final do jogo o técnico bracarense Leonardo jardim lamentou o resultado e o facto do Braga não ter construído um resultado que permitisse conseguir os 3 pontos

ANTENA MINHO

 

publicado por carlitos às 10:33

Outra Cidade de Braga
mais sobre mim
Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab


2
3
4
8

9
12
14


25
27
29



ELEVADOR DO BOM JESUS DO MONTE
pesquisar
 
últ. comentários
ola Sílvia.Como amigo que fui do Mário, não podia ...
Olá Carlos!Peço imensa desculpa por não ter respon...
Força Sporting!!! Vamos ganhar Zurich!!!!
Se foi apanhado nas malhas do doping só terá de pa...
Creio que virá a ser uma grande jogador!! já tinha...
É bom ver que grandes marcas como a HP têm em cont...
Será verdade? Este Alan gosta muito de picar o Jav...
Sinceramente acho que este senhor ficou tempo dema...
Poderíamos ter uma equipa já apurada para a próxim...
Vale é que muitos pais avós (agora promovidos a am...
LARGO do PAÇO BRAGA
BRAGA
JARDIM SANTA BÁRBARA - BRAGA
BANCO DE PORTUGAL - BRAGA
SC BRAGA
Outra Cidade de Braga
VICE-CAMPEÃO NACIONAL
ESTÁDIO AXA